ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 25º

Economia

Veja quais bancos mais fecharam agências em Campo Grande durante a pandemia

Desde o início da pandemia, 14 unidades bancárias fecharam em Mato Grosso do Sul; dez delas na Capital

Por Guilherme Correia | 16/10/2020 16:03
Protesto realizado em agência do Bradesco no Centro de Campo Grande devido aos cortes (Foto: Henrique Kawaminami)
Protesto realizado em agência do Bradesco no Centro de Campo Grande devido aos cortes (Foto: Henrique Kawaminami)

Mato Grosso do Sul perdeu 14 agências bancárias no período entre fevereiro e setembro deste ano, a maioria (10) em Campo Grande. Maior responsável pelo número é o Banco Bradesco, que decaiu nove agências na Capital e quatro no interior do Estado, seguido do Banco BV, que perdeu unidade da 13 de maio, em Campo Grande.

Apesar disso, no geral, o Banco do Brasil abriu nova agência em Nova Andradina, enquanto a Caixa Econômica Federal contabilizou novo registro de agência na Avenida Tamandaré, 2957, em Campo Grande.

Fechamento - Em termos quantitativos, quatro cidades perderam agências bancárias - todas eram do Bradesco. Em Anastácio, agência que ficava na Avenida Manoel Murtinho; em Sete Quedas na Rua Monteiro Lobato, em Chapadão do Sul na Avenida 8 e em Ivinhema na Avenida Panamá.

Levantamento feito pela reportagem, com base nos dados divulgados pelo Bacen (Banco Central), indica redução de 854 agências bancárias no Brasil todo entre fevereiro, mês anterior ao início da pandemia no Estado, e registro mais recente disponibilizado em setembro deste ano.

Recente protesto noticiado pelo Campo Grande News falava sobre revolta por parte do sindicato dos bancários em relação ao fechamento de agências bancárias do Bradesco - segundo o sindicato, somente em agosto foram cinco.

Procurada sobre os fechamentos em todo Mato Grosso do Sul, a assessoria de imprensa do Bradesco não respondeu questionamentos enviados pelo Campo Grande News até o momento de publicação desta reportagem.

Única informação, encaminhada na última quinta-feira (15), dizia apenas que o banco "não vai comentar o assunto".

(*) matéria atualizada às 7h17 de sábado (17) para acréscimo de informações

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário