ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 23º

Educação e Tecnologia

Aula presencial de 6° a 9° ano volta dia 19 de julho

Escolas vão adotar rodízio de turmas, além de protocolos e meta de vacinar 100% dos profissionais de educação

Por Tainá Jara | 12/05/2021 12:09
Sevidores limpam escola municipal Escola Municipal Tomaz Ghirardelli, no Parque Lageado, em Campo Grande, durante a pandemia (Foto: Arquivo)
Sevidores limpam escola municipal Escola Municipal Tomaz Ghirardelli, no Parque Lageado, em Campo Grande, durante a pandemia (Foto: Arquivo)

Os alunos de 6° a 9° ano do Ensino Fundamental serão os primeiros a retornar para aulas presenciais no esquema de ensino híbrido, previsto para começar no dia 19 de julho, nas escolas municipais de Campo Grande. De acordo com a secretária municipal de Educação, Elza Fernandes, o calendário escolar será retomado desta forma após o recesso 2 a 16 de julho, com rodízio de turmas, protocolos de biossegurança e perspectiva de ter 100% dos profissionais da educação imunizados.

Medidas adotadas para o retorno das aulas, cujo formato presencial foi suspenso no dia 18 de março do ano passado, foram apresentadas em live promovida pela Câmara Municipal de Campo Grande, nesta quarta-feira (12). Pesquisa feita com os pais apontaram que 50,55% querem a volta às aulas em formato híbrido.

Alunos do Ensino Fundamental II, o formato híbrido será aplicado as crianças de 1° ao 5° ano e, por último, as Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil). São quase 110 mil alunos matriculadas na rede.

Compra de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) já foi feita pela Semed (Secretaria Municipal de Educação) e incluem máscaras, face child, aventais, tapetes sanitizante, termômetros e álcool 70. Os itens serão entregues aos alunos juntamente com uniforme escolar, que ainda não foi entregue neste ano.

Quanto a vacinação profissionais de educação, a secretária planeja estar com 100% do quadro de servidores vacinados. Até a data prevista, segundo ela, terá tempo para aplicação da segunda dose, e há conversa com o secretário de Saúde, José Mauro, para antecipar a imunização caso seja necessário.

De acordo com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), na Capital, até o momento, já foram vacinados no município 15.270 trabalhadores da educação. Conforme o Vacinômetro, do governo do Estado, apenas 4 receberam a segunda dose. Os profissionais da área foram vacinados até a semana passada principalmente com doses da Aztrazeneca cuja a aplicação para completar o quadro vacinal deve ocorrer três meses.

Apesar do plano, a secretária ressaltou que será necessária analisar o cenário em relação a covid-19 próximo a data prevista para o retorno. “Nós sabemos que para retorno seguro é preciso ver qual a situação da doença no momento”, explicou a secretária.

Métodos – Mesmo com parte das aulas oferecidas de forma presencial, a secretaria continuará dispondo dos cadernos de exercícios e de ofertas de aulas em plataformas onlines.

Para receber os alunos e tentar reduzir os danos possíveis do ensino a distância, serão ampliadas as salas de psicopedagogia disponíveis.

Atualmente, existem apenas sete no município, uma por região. O plano é dobrar a estrutura e atender principalmente crianças do 1°, 2° e 3° ano, em fase de alfabetização.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário