A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

23/12/2009 12:09

Com plano, artistas esperam valorização cultural

Redação

Artistas de Campo Grande participaram nesta quarta-feira do ato em que o prefeito Nelsinho Trad (PMDB), sancionou o Plano Municipal de Cultura e, entusiasmados, acreditam que o documento traz um marco para as ações culturais da Capital.

Durante o evento, na Esplanada Ferroviária, houve apresentações musicais e teatrais e participação maciça de artistas, dentre eles a atriz e coordenadora do Pontão Guaicuru, Andréia Freire e o cantor Márcio de Camillo.

Andréia disse que "agora o prefeito começa a colocar a cultura na mesa das negociações". O ator Edson da Silva, conhecido como "Profeta" disse que "sem esse norteador não tínhamos como trabalhar com cultura. Agora o plano depende de nós, de nosso esforço, porque sem esforço vira só um amontoado de papel".

O presidente da Fundação de Cultura, Athayde Nery, afirma que o processo de elaboração do plano de cultura foi deflagrado em abril e que houve muita discussão até chegar ao formato final.

Ele explica que é uma peça-base para as discussões em torno de cultura e atinge três dimensões: a primeira é simbólica, que abrange influências migratórias e a "mistura que foi feita para formar a população e cultura da cidade".

A segunda é a dimensão cidadã, levando a cultura aos bairros, para que ganhe capilaridade. "Este é o grande desafio da cultura hoje", disse Athayde.

A terceira dimensão é econômica. "A cultura é a economia mais limpa do mundo, gera cidadania, faz do cidadão um homem diferente", acrescentou. Nesse sentido Athayde destacou a importância do artista se profissionalizar, em busca de recursos, na proposição de projetos e participar de outras questões burocráticas e jurídicas.

A partir de agora serão criadas câmaras setoriais, discutidos investimentos e captação de recursos. Athayde chorou ao agradecer o prefeito pelo empenho no projeto, mesmo ainda estando com a saúde debilitada. Lembrou que a cultura, que geralmente fica em segundo plano para o poder público, agora passa a ter o destaque que merece.

Nelsinho acredita que o plano vá servir de modelo para outras cidades que se preocupam a cultura e alertou que agora os artistas precisam ser organizar para que as premissas sejam colocadas em prática.

Entre outros aspectos, o plano transforma em patrimônio cultural da Capital a Marcha para Jesus, realizada pelos evangélicos no mês de agosto, e a Festa de Santo Antônio, celebrada em junho. Também prevê a descentralização e diversificação do financiamento da produção cultural.

Autorização para psicólogos aplicarem terapia de reorientação sexual é mantida
O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília, decidiu hoje (15) tornar definitiva a decisão liminar (provisória) que havia pr...
Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions