A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 16 de Novembro de 2018

17/03/2018 08:12

A caminho da semifinal, Estadual enfrenta queda de 53% no público

Público, que já não é empolgante, está ainda mais desanimador na temporada 2018. Estadual foi marcado por violência e "tapetão"

Gabriel Neris
Público nos estádios caiu pela metade neste ano, conforme os borderôs divulgados pela FFMS (Foto: Paulo Francis)Público nos estádios caiu pela metade neste ano, conforme os borderôs divulgados pela FFMS (Foto: Paulo Francis)

Há anos o Campeonato Estadual não empolga os torcedores sul-mato-grossenses. Reflexo disso é o baixo público nos jogos. Em 2018, a situação é ainda mais amarga. A primeira fase da competição registrou uma queda de 53% em comparação com com a fase de classificação do ano passado.

Os números foram levantados de acordo com os borderôs divulgados no site da FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul).

A primeira fase do Estadual do ano passado registrou, em média, a presença de 656,3 torcedores pagantes. Com os jogos da fase final, que costumam aumentar o número de público no estádios, o Estadual 2017 terminou com média de 845,2 torcedores por jogo. O público total do campeonato foi de 64.240 torcedores.

Na edição deste ano, a fase de classificação dos jogos do Estadual terminou com média de 308,5 torcedores por partida, uma queda de 53%. Com o atraso na entrega de laudos, o MPE (Ministério Público Estadual) determinou que os jogos no estádio Morenão e Toca do Urso, em Mundo Novo, fossem realizados com os portões fechados até que os clubes e federação regularizassem a situação.

Resultado, o Morenão recebeu quatro partidas sem público e a Toca do Urso um jogo também com os portões fechados. Levando em conta apenas os jogos com público, a média de torcedores teve leve aumento para 355,3 pagantes, uma queda de 45,8%.

Gandula foi espancado por jogador do Operário durante clássico (Foto: TV Morena/Reprodução)Gandula foi espancado por jogador do Operário durante clássico (Foto: TV Morena/Reprodução)

Bagunça dentro e fora de campo – O Campeonato Estadual deste ano contou com dois episódios que mudaram o rumo da competição. No dia 18 de fevereiro, Comercial e Operário foram protagonistas do episódio que rodou o Brasil. O gandula Tadeu Francisco comemorou o gol que garantia a vitória do Colorado sobre o rival, motivo suficiente para ser agredido pelo massagista Raul Prazeres dos Santos Neto e espancado pelo atacante do Galo, Jeferson Reis.

A briga se tornou generalizada e envolveu outros atletas das duas agremiações. Resultado, um Boletim de Ocorrência foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento) do bairro Piratininga após o jogo. Todos foram julgados pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva). Jeferson e Raul Prazeres pegaram 12 jogos de suspensão.

Um dia depois da confusão, a diretoria do Operário anunciou que os dois funcionários foram desligados do clube. Comercial e Operário também foram julgados e multados. Até mesmo o gandula não escapou da indisciplina e pegou 30 dias de suspensão, ficando longe de qualquer praça esportiva durante este período.

Nesta semana, a 1ª Comissão Disciplinar do TJD julgou a escalação irregular de um atleta do Costa Rica. Paulo César Urnau havia pegado gancho de quatro jogos no fim do Estadual do ano passado quando vestia a camisa do Operário. Cumpriu apenas uma partida de suspensão. Foi contratado este ano pelo time do interior e escalado em três partidas.

Caso de jogador irregular do Costa Rica foi parar no Tribunal de Justiça Desportiva (Foto: Gabriel Neris)Caso de jogador irregular do Costa Rica foi parar no Tribunal de Justiça Desportiva (Foto: Gabriel Neris)

A falta de atenção da diretoria do clube resultou em perda de 13 pontos, 9 por jogos atuados e 4 pelos pontos obtidos. O clube terminou com -2 de pontuação e automaticamente foi excluído da competição.

Diante da exclusão do Costa Rica, os pontos foram devolvidos a tabela da segunda fase alterada. Como dois jogos (Costa Rica 0x0 Sete de Setembro e União ABC 2x3 Águia Negra) foram atingidos diretamente com a decisão do tribunal, os mesmos foram anulados pela Federação de Futebol e dois confrontos das quartas de final marcados as pressas.

Na quinta-feira, o estádio Morenão, em Campo Grande, recebeu uma inusitada rodada tripla. Os jogos de volta das quartas de final que ainda restam ser jogados estão marcados para domingo. Às 15h, tem Águia Negra x União ABC, em Rio Brilhante. Já às 17h, o Sete de Setembro recebe o Novo, em Dourados. Operário e Corumbaense aguardam os adversários das semifinais.

A Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul foi procurada pela reportagem para comentar a queda drástica de público nos estádios, mas a assessoria de imprensa informou que não se manifestará a respeito. Também foram procurados os presidentes do Operário, Estevão Petrallas, do Corumbaense, Bosco Delgado, e do Águia Negra, Iliê Vidal. Petrallas e Vidal não atenderam as ligações. Delgado informou que estava ocupado e não poderia atender a reportagem no momento.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions