ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  25    CAMPO GRANDE 20º

Esportes

Após Capital ser abandonada, prefeitura só recapeia curvas para Moto GP

Autódromo Internacional de Campo Grande não recebe grandes eventos há dois anos por falta de investimento de R$ 1 milhão na reforma da pista

Por Helton Verão | 12/11/2013 09:39
Recapeamento de 100% da pista custaria R$ 1 milhão, o que leva ao 'boicote' aos grandes eventos (Foto: João Garrigó)
Recapeamento de 100% da pista custaria R$ 1 milhão, o que leva ao 'boicote' aos grandes eventos (Foto: João Garrigó)

Campo Grande e o Autódromo Internacional estão sendo deixados de lado para sediar corridas de grande porte e nacionais por federações de corridas. O motivo, porque o local precisa de uma reforma que avaliada em R$ 1 milhão para recapear a pista, fora os demais gastos. E para receber o Brasileiro Moto 1000 GP, a prefeitura só recapeou as curvas.

De acordo com o presidente da FAMS (Federação de Automobilismo de Mato Grosso do Sul), Valdemir Terra,há cerca de dois anos as federações e organizadores de grandes eventos de corridas tem boicotado a Capital Morena dos eventos por não aceitar a situação do Autódromo.

“Desde 2011 não recebemos provas de grande porte e de nível nacional, precisamos da reforma, só a pista ficaria em torno de R$ 1 milhão. A CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) mandou os encargos para realizar uma prova estadual e uma nacional, mas por fim nenhuma pode vir, e nem o ano que vem deverá vir”, ressalta Terra

As provas citadas pelo presidente da FAMS, são a Fórmula Truck, a Stock Car, Fórmula 3 e GT Brasil. “Fora outras que tentamos e não conseguimos devido o estado da pista. Só conseguimos realizar provas locais”, lamentou o presidente.

Os ingressos para a etapa do Moto 1000 GP custam R$ 10 para arquibancada, estudantes e idosos pagam meia R$ 5. O valor para ter acesso ao Paddock (boxes) é de R$ 35,00.
Os ingressos para a etapa do Moto 1000 GP custam R$ 10 para arquibancada, estudantes e idosos pagam meia R$ 5. O valor para ter acesso ao Paddock (boxes) é de R$ 35,00.

Consolo - Se não conseguiu com os carros, a Capital sediará pela primeira vez neste fim de semana a etapa do Brasileiro de Moto 1000 GP. Campo Grande foi escolhida após contratempos com a pista dos autódromos em Brasília e Goiânia. “Houve dois casos pontuais: a restrição técnica da pista de Brasília, pouco antes da nossa etapa lá, e a reforma não concretizada do autódromo de Goiânia, que seria nossa final. Então fizemos uma readequação, programando a sétima etapa para Campo Grande”, comentou Gilson Scudeler, diretor do evento.

A secretaria responsável pelo Autódromo da Capital, a Funesp (Fundação Municipal de Esporte), informou através de sua assessoria de imprensa de que a pista passa por recapeamento de 100% de sua pista. No entanto, os reparos estão sendo feitos apenas nas curvas.

 “Estão só fazendo reparo nas curvas. A pista tem muitos buracos, no mais seguirá tudo do mesmo jeito”, confirma o presidente da FAMS e da presidente da FEMEMS (Federação de Motociclismo do Estado de Mato Grosso do Sul), André Azambuja.

Somente algumas curvas receberam a lama asfáltica (Foto: João Garrigó)
Somente algumas curvas receberam a lama asfáltica (Foto: João Garrigó)

Além de afirmar que terá a pista 100% reformada, a Funesp confirma que a pintura de placas e zebras da pista serão revitalizados.

O Campo Grande News foi até o autódromo e de fato, como citado pelos presidentes das federações, somente as curvas receberam um leve reparo.

Ingressos - GP Campo Grande - 7ª EtapaOs ingressos para a etapa do Moto 1000 GP custam R$ 10 para arquibancada, estudantes e idosos pagam meia R$ 5. O valor para ter acesso ao Paddock (boxes) é de R$ 35,00.

Eles poderão ser adquiridos a partir das 7h, na portaria do Autódromo de Campo Grande. Ou através do site da Rede Ok Ingressos.

Nos siga no Google Notícias