A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

28/07/2015 15:32

Convocação de nova eleição na FFMS é condição para conversa com Cezário

Paulo Nonato de Souza
O radialista Arthur Mário Medeiros Ramalho, do movimento Mutirão Pró Futebol (Foto: Arquivo)O radialista Arthur Mário Medeiros Ramalho, do movimento Mutirão Pró Futebol (Foto: Arquivo)

O movimento “Mutirão Pró Futebol” está disposto a aceitar a proposta do presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), Francisco Cezário de Oliveira, para que juntos busquem alternativas para fortalecer o futebol sul-mato-grossense, mas desde que ele convoque nova eleição na entidade e não seja candidato, a exemplo do que fez recentemente o suíço Joseph Blatter, na Fifa.

Foi o que disse há pouco o radialista Arthur Mário Medeiros Ramalho, ex-presidente do Esporte Clube Comercial, que ao lado dos ex-jogadores Amarildo Carvalho e Nelson Barros, o Chaveirinho, lidera o “Mutirão Pró Futebol”, criado no início deste mês para propor e cobrar mudanças na gestão do futebol em Mato Grosso do Sul, em franca decadência desde a década de 1990 e que hoje está no fundo do poço com o Estádio Morenão interditado pelo Ministério Público Estadual, por oferecer riscos ao torcedor, e presente apenas na quarta divisão do futebol brasileiro, a Série D.

O desejo de se reunir com Arthur Mário foi manifestado pelo próprio Cezário em entrevista concedida domingo à noite, por telefone, e publicada ontem no Campo Grande News. “Se for para o bem do futebol estou à disposição”, declarou o dirigente da FFMS.

“Aceitamos conversar, mas se ele marcar nova eleição e que não seja candidato. O nosso futebol está do jeito que está e ele diz que quer o bem do futebol. Para quem está há tanto tempo no cargo, não é o que parece”, disse o radialista, referindo-se ao fato de Cezário ter iniciado em abril deste ano o seu quinto mandato consecutivo, que se estenderá até 2019.

Arthur Mário também se manifestou sobre a afirmação de Cezário de que ele concorreu à presidência da FFMS na eleição de 1998 e que recebeu apenas o próprio voto.

“Não é verdade. Eu fui o primeiro a registrar uma chapa, a chapa Novas Idéias, mas uma manobra estatutária do Cezário impediu que eu concorresse. Ele colheu assinaturas de apoiadores que já haviam assinado pela minha chapa, e fez isso de propósito, sabendo que o estatuto não permitia a duplicidade de assinaturas. Por conta disso a comissão organizadora da eleição anulou a minha candidatura. Cheguei a judicializar a eleição com pedido de liminar, mas não tive exito. Portanto, não disputei a eleição”, explicou Arthur Mário.



Fora cezario.
 
A_N_D_R_E em 28/07/2015 22:05:10
Esta FFMS deve ser uma vaquinha com tetas bem gordinhas para este cidadão Francisco Cezário não querer largar... Ou será que deseja, a qualquer custo, esconder alguma coisa embaixo do tapete? Vamos esperar para ver... Em tempos de MPE, MPF, STF, JF, STJ, ... não é muito saudável arriscar...! Só por curiosidade, gostaria de saber quanto a FFMS recebeu e recebe da CBF e como foi aplicado... É só curiosidade... Minha memória não está muito boa, mas creio que o cidadão está na reinando na FFMS desde a época em que o outro cidadão, Teixeira, estava na presidência da CBF. Como, presumo, a FFMS tem direito à 1 voto na eleição da direção da CBF... foi então que fiquei com uma pulga incomodando... Mas repito... é só curiosidade...
 
SeiQueNadaSei_CGRMS em 28/07/2015 16:28:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions