A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

20/03/2015 10:18

Em Bangkok, campo-grandense desabafa por não lutar no Mundial de muay thai

Paulo Nonato de Souza
A campo-grandese Lídia Fonseca com colegas da seleção brasileira de muay thai na Tailândia (Foto: Arquivo pessoal)A campo-grandese Lídia Fonseca com colegas da seleção brasileira de muay thai na Tailândia (Foto: Arquivo pessoal)

Sem adversária, sem luta, sem medalha. Assim reagiu a atleta campo-grandense de muay thai, Lídia Fonseca, que viajou até Bangkok para a disputa do Campeonato Mundial da modalidade e não pode subir ao ringue para por em prática os resultados de 7 anos de treinamento para a competição. Ela disputaria a competição na categoria até 91 quilos.

Triste, porém confiante no trabalho que realizou na sua prepaparação, Lídia Fonseca fez um desabafo em seu perfil no Facebook.

“Estou eu aqui em Bangkok, Tailândia, vim representar meu país, meu Estado, o muay thai. Cerca de 7 anos treinando e pouco mais de 1 ano participando de campeonatos, o que esperar de um Campeonato Mundial? Pelo menos uma adversária, né? Longe da família e com 11 horas de fuso horário. Infelizmente não vai ser dessa vez que levo o ouro para o Brasil, não por culpa minha. Fiz tudo que foi necessário, treinei muito, vim pra cá, tive bons resultados anteriores, bati o peso, mas não tive adversária para lutar em minha categoria”, disse.

Em seu desabafo, Lídia Fonseca disse que nem tudo foi perdido porque teve a oportunidade de treinar no berço do muay thai e aprender o que achava que já sabia.

“Sem adversária, sem luta, porém não totalmente sem resultados. Aqui me voltei bastante pro muay thai, aprendi sobre a cultura, aprimorei o que achava que já sabia. Vim para lutar, não lutei, mas a bagagem que estou levando de volta é grande. Foi bom para o meu crescimento pessoal e com o esporte, porque certas oportunidades só são dadas uma vez na vida, então dei meu máximo no país do muay thai”, declarou.

Sem patrocínio publico nem privado, Lídia teve que apelar para a solidariedade dos familiares e amigos. Juntos, realizaram dois almoços com convites a R$ 15, o primeiro foi carreteiro e o segundo bobó de galinha, com 200 convites cada e todo o dinheiro arrecadado foi investido na compra da passagem para Bangkok. Frustrada por não ter lutado, ela agradeceu a colaboração de todos.

“Obrigada a todos, sinceramente pela ajuda, cada um que se doou para que tudo desse certo, e apesar dos pesares está dando certo, tirando o fato de não poder concluir meu objetivo inicial. Volto triste por não ter nos representado aqui, mas feliz pela experiência ímpar que estou passando. Obrigada, obrigada e obrigada”, disse a atleta que completou 20 anos de idade na capital tailandensa.

Lídia disse que volta feliz com a chance que teve de treinar no país do muay thai (Foto: Arquivo pessoal)Lídia disse que volta feliz com a chance que teve de treinar no país do muay thai (Foto: Arquivo pessoal)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions