A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

20/08/2018 11:06

Para Marquinhos Trad, atropelamento na Stock Car foi fatalidade

Joares dos Santos Ferreira, uma das três pessoas atropeladas, passou por cirurgia no crânio e se recupera no CTI da Santa Casa de Campo Grande

Anahi Zurutuza e Kleber Clajus
Prefeito Marquinhos Trad em entrevista (Foto: Kleber Clajus)Prefeito Marquinhos Trad em entrevista (Foto: Kleber Clajus)

Para o prefeito Marquinhos Trad (PSD), o acidente na Stock Light - prova de acesso à Stock Car – foi uma fatalidade. Ele descarta qualquer possibilidade de problemas na pista e da falta de área de segurança.

“Foi uma colisão entre dois pilotos, que atingiu as pessoas, que tecnicamente estão preparadas para estar onde estavam”, afirmou Marquinhos durante agenda pública na manhã desta segunda-feira (20).

O prefeito lembrou de Ayrton Sena, ídolo mundial da Fórmula 1 que morreu em 1994 em acidente. “É um esporte onde fatos como estes ocorrem”, comentou.

Marquinhos disse ter se surpreendido com o fato de uma das vítimas ter ficado em estado grave. “Vi a imagem e têm batidas no trânsito que são muito mais violentas”, opinou sobre o limite de velocidade no local do acidente ser de no máximo 50 km por hora.

O acidente - O atropelamento aconteceu durante a janela de pit-stops. Imagens do momento mostram que Gabriel Lusquiños, da Motortech Competições, perde o controle da direção e o carro de número 22 bate no veículo 1, pilotado por Erik Mayrink, da TMG Light Team, que também tenta deixar os boxes. Com o impacto, o segundo piloto também perde o controle e atropela os mecânicos da equipe.

Juarez dos Santos Ferreira, de 62 anos, uma das três pessoas atropeladas, passou por cirurgia no crânio e se recupera no CTI (Centro de Tratamento e Terapia Intensiva) da Santa Casa de Campo Grande. As outras duas vítimas já tiveram alta. Veja as imagens do acidente:

Organização – A Prefeitura de Campo Grande é a gestora do Autódromo Internacional e trabalhou neste ano para trazer a prova para a Capital.

A competição, que não acontecia na cidade desde 2014, gerou R$ 12 milhões em 7 dias com serviços de hotelaria, transporte, alimentação, entre outros, segundo estimou a administração municipal.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions