A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

29/12/2008 13:35

Projeto para Morenão receber a Copa já está pronto

Redação

Cem por cento coberto, arquibancadas mais próximas ao campo e novos acessos, estas são algumas das muitas adaptações pelas quais o Morenão deve passar para poder sediar uma das fases da Copa do Mundo de 2014.

Na manhã de hoje, o projeto foi apresentado ao governador do Estado, André Puccinelli. De acordo com Luiz Fernando Santos Reis, diretor da Carioca Engenharia, que é uma das responsáveis pelo projeto, neste momento o Morenão deve ser a prioridade de Campo Grande na disputa por uma das sedes da Copa. Isso porque o prazo final para se entregar o projeto dos estádios à Fifa (Federação Internacional de Futebol), termina no próximo dia 15.

"Nossa proposta é modernizar o Morenão, fazer com que o torcedor se sinta, realmente, dentro do campo, assim como são os estádios europeus", disse Reis lembrando que a Carioca tem um convênio com a portuguesa Sonague, que construiu cinco estádios da Euro Copa.

Segundo Reis, as principais exigências para que um estádio receba os jogos da Copa do Mundo são: "100% cobertura, cadeiras numeradas e encher o estádio em duas horas e esvaziá-lo em uma". Mas, além desta reformas, o Morenão também deve ganhar um mini-shopping, mais rampas de acesso, uma reordenação do estacionamento, novo vestiário e mais arquibancadas.

"Queremos também melhorar a visibilidade de quem assiste ao jogo. Hoje, com o Morenão cheio, somente 30% dos torcedores têm uma boa visão do campo, depois da reforma este número vai subir para 85%", adianta Reis. Isso, conforme o diretor, deve-se à inclinação das novas arquibancadas. "Hoje o ângulo de inclinação é muito suave. Quem está atrás do gol, não consegue ver nem o goleiro. Com mais inclinação tudo muda", conta.

Na disputa direta com Campo Grande por ser uma das sede da Copa do Mundo, está a capital do Mato Grosso, Cuiabá. Um aspecto ressaltado pelo governador, que pode pender na decisão por Campo Grande, foi de que todas as reformas vão ficar para a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

"Vai ser o legado que a Fifa vai deixar para a Universidade", avalia Puccinelli. Durante a reunião, a qual participou o prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), foi assinado um decerto que autoriza o consórcio da Carioca a fazer o projeto executar a obra, tudo sem ônus para o município. Será uma Parceria Público Privada, na qual a empresa também receberá parte dos lucros do empreendimento. Mas detalhes sobre como funcionará a parceria não foram dados, assim como o valor total da obra.

Campo Grande - Puccinelli disse que agora é hora de se fazer ações conjuntas e disse que o Estado prevê R$ 500 milhões. "Temos de nos unir para ganharmos essa. E trabalhar coordenadamente na mídia, na política e no projeto técnico", disse. O governador não se mostrou impressionado com a quantidade que o governo de Mato Grosso anunciou para seduzir a Fifa realizar a Copa em Cuiabá, R$ 1 bilhão.

"Mas com financiamento internacional, com contrapartida de apenas 10%. Então, na verdade, são R$ 100 milhões contra R$ 500 milhões", recalcula Puccinelli. "Nós estamos com todas as grandes empresas em lua de mel com Mato Grosso do Sul, porque não existe nenhum Estado valores tão altos como os que temos anunciado por nós". O governador fez aos jornalistas um rápido levantamento das vantagens que Campo Grande tem em relação a Cuiabá.

"Além da beleza da cidade, a funcionalidade é melhor, a tipografia é melhor e ainda o contingente de atendimento hospitalar é melhor", disse destacando que a segurança pública também favorece a capital morena. Questionado se falta alguma coisa para Campo Grande ficar pronta para receber a Copa, Puccinelli brincou: "talvez só uma lipoaspiração no dedão do pé esquerdo".

Isenção - Prefeitura e Governo já concederam benefícios à Fifa (Fédération Internationale de Football Association) e entidades vinculadas a ela. A Prefeitura isentou as entidades de ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza), de IPTU (Imposto Territorial e Predial Urbano), ITBI (Imposto Sobre Transmissões Onerosas de Bens Imóveis) e das taxas instituídas pelo município.

A isenção restringe-se aos serviços, receitas, rendas e bens diretamente vinculados e necessários à realização do evento esportivo. Para ser beneficiada, a pessoa física ou jurídica deve estar credenciada previamente pela Fifa.

Já o governo do Estado isentou de ICMS, até o dia 31 de julho de 2014, as operações com mercadorias e bens destinados à construção, ampliação, reforma ou modernização de estádios a serem utilizados na Copa do Mundo de Futebol

de 2014.

 
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions