A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

01/02/2015 21:02

Santos estreia com bela atuação de Geuvânio e golaço de novato

Daniel Machado
Atacante Chiquinho, justamente o único novato entre os titulares, comemora o terceiro gol. (Foto: LancePress)Atacante Chiquinho, justamente o único novato entre os titulares, comemora o terceiro gol. (Foto: LancePress)

Se não serviu de vingança pela derrota no último confronto, quando perdeu a final do Campeonato Paulista, o jogo na Vila Belmiro contra o Ituano serviu pelo menos para que o Santos deixasse uma boa impressão em sua estreia no Estadual: 3 a 0 com dois gols do jovem talento Geuvânio e um de Chiquinho, justamente o único novato entre os titulares.

E foram três belos gols. Geuvânio, brilhante como em suas grandes atuações no Paulista do ano passado, fez um em cada tempo.

No primeiro, logo aos seis minutos, acertou o ângulo do goleiro Diego Neto com um lindo - embora desviado - chute de canhota, de fora da área. No segundo, tabelou com o sempre eficiente Lucas Lima e só empurrou para as redes.

Entre um gol e outro do garoto, o estreante Chiquinho deixou um belíssimo cartão de visitas ao aproveitar o rebote da barreira após cobrança de falta de Lucas Lima e disparar um petardo sem deixar a bola cair, aos 29 da etapa inicial. O reforço ainda teve atuação segura na marcação e, pelo menos neste domingo, não deixou que a torcida sentisse falta de Mena.

Foi o primeiro reencontro entre os finalistas do Paulistão do ano passado. E o Peixe se vingou, na medida do possível. Dick, Josa, Jackson Caucaia e Cristian, titulares no jogo do título em 2014, estavam em campo. Mas agora têm companheiros menos qualificados e menos entrosados, além de outro treinador: Tarcísio Pugliese terá muito trabalho se quiser fazer história como Doriva. Apostar nos dribles e na velocidade de Misael não foi suficiente. Na melhor chance do time, com o placar anotando ainda 1 a 0, Ricardinho acertou a trave.

O Alvinegro também está diferente. Vladimir, Victor Ferraz e Renato, por exemplo, terminaram o ano passado como reservas de Aranha, Cicinho e Arouca. Sem Damião, não havia centroavante até a reestreia de Ricardo Oliveira, que entrou na vaga do aplaudido Geuvânio. Elano foi outro que reestreou: jogou os 15 minutos finais no lugar de Thiago Ribeiro. Ambos foram discretos.

Entre os veteranos, foi o capitão Robinho quem chamou a atenção. O camisa 7 apresentou admirável espírito coletivo, jogou com menos pirotecnia e mais suór, marcou a saída de bola e contagiou o time. Mesmo com direitos de imagem ainda atrasados, o Peixe teve fibra.
O Santos volta a campo na quarta-feira, às 22h, contra o Mogi Mirim, fora de casa. Já o Ituano tentará se recuperar às 17h do mesmo dia contra o Bragantino, no Novelli Júnior.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions