A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


08/09/2017 06:00

Adeptos da Ditadura gritam em meio aos excluídos

Anahi Zurutuza

Protesto – Depois que as tropas terminaram de passar pela Rua 14 de Julho durante o desfile cívico-militar do Dia da Independência manifestantes ganharam a via. Um deles chegou a entrar em frente de um veículo blindado e teve que ser retirado pela organização.

Contradição – O grito dos excluídos foi bastante eclético este ano, para não dizer incoerente. Infiltraram-se no tradicional protesto pessoas a favor da intervenção militar e simpatizantes do polêmico deputado federal Jair Bolsonaro.

Pela volta da Ditadura! – O que não faltou no evento, aliás, foram adeptos ao governo militar. Várias pessoas seguravam faixas e cartazes apoiando as Forças Armadas no poder.

Sem plateia – Enquanto isso, como em todos os anos, o grito dos excluídos foi realizado em frente a um palanque vazio. A ideia é chamar a atenção da sociedade e das autoridades às minorias discriminadas socialmente.

Pulando a cerca – Durante o desfile cívico-militar, o Exército colocou alambrados para limitar o acesso do público às arquibancadas. Embora a organização seja digna de elogios, já que tudo transcorreu pontualmente nos horários marcados, quem sofreu foram os cabos de aço das telas de proteção ao longo da ciclovia da avenida Afonso Pena. Sem alternativa para acessar os locais onde era possível ver o desfile, o jeito foi literalmente pular a cerca, danificando a estrutura.

Nada decidido – Sobre a nova equipe de direção do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) garante que ainda não há nada decidido. Reinaldo disse que está conversando com o novo diretor-presidente, Roberto Hashioka, alguns servidores de carreira e pessoas de fora, mas não fechou os nomes de quem vai ocupar os cargos de diretor-adjunto e para as diretorias administrativo e de tecnologia.

Ausência – Reinaldo não deverá participar do Fórum Agronegócio Sustentável, que o jornal Folha de S. Paulo vai realizar nos dias 14 e 15 deste mês na sede da Associação Paulista de Supermercados, em São Paulo.

Governo no fórum - O Governo de Mato Grosso do Sul é um dos colaboradores, e de acordo com a programação divulgada pela Folha, o governador é um dos convidados do evento promovido para debater sobre o crescimento da agricultura orgânica, logística, infraestrutura e inovações tecnológicas.

Outro compromisso – É que no dia 14, justamente na data de abertura do Fórum, acontecerá em Campo Grande o lançamento da programação comemorativa dos 40 anos de criação do Estado de Mato Grosso do Sul, inclusive com música especial do cantor e instrumentista Almir Sater.

Corporativismo x inovação - Criar uma legislação que não permita barreiras à economia digital e ao interesse do cidadão. É o que propõe a comissão especial que será instalada na próxima semana na Câmara dos Deputados para discutir e estabelecer normas para a economia colaborativa no Brasil, como os sistemas operados pela Uber, Airbnb e tantos outros serviços baseados em tecnologia que desmonta monopólios, já amplamente utilizados por quem vive em Mato Grosso do Sul. De cara, a grande preocupação, conforme o relator da comissão, o deputado Thiago Peixoto (PSD-GO), é evitar que o corporativismo domine os debates.

(Colaborou Renata Volpe Haddad e Ricardo Campos Jr.)

MDB teve divisões sobre Mochi candidato
Opinião – O deputado Eduardo Rocha (MDB) admite que a escolha de Junior Mochi para candidato na legenda não teve consenso desde o início, após a desi...
Senador critica "descaso" com Paraguai
Vizinho desprestigiado – O ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo, e o senador Pedro Chaves (PRB/MS) foram os dois únicos representantes de ...
Campanha tucana atrai 75% dos prefeitos
Apoio – Enquanto o MDB, antigo aliado histórico do PSDB, patinou para fechar sua candidatura do governo do Estado, os tucanos contabilizam adesões. N...
Dois anos após "febre", Uber perde motoristas
Debandada – Quase dois anos depois de chegar a Campo Grande, e depois de muita polêmica, a plataforma de transporte por aplicativo mais conhecida, a ...


Ditadura ou regime militar?
A imprensa também comete seus erros:
1. Taxa como preconceito o conceito que os cristãos tem do homossexualismo;
2. Chama de Lei da Mordaça aquilo que a Escola sem Partido propõe, que é o ensino adequado nas escolas;
3. Chama o regime militar de ditadura.
Políticos erram; jornalistas, também!
 
TRAPP em 09/09/2017 08:39:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions