A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


07/05/2016 07:00

Antes de julgamento, jovem curtiu balada e álcool

Waldemar Gonçalves

Na balada – Richard Gomide Lima, condenado ontem a 9 anos de prisão por matar um segurança no trânsito, em 2012, saiu livre do tribunal graças a um habeas corpus. Se a fragilidade da lei já pode incomodar, imagine saber que, uma semana antes, ele estava na balada tomando umas e outras com amigos, como denuncia foto postada em uma rede social no dia 30 de abril.

Que exemplo – Para piorar, tem gente ligada à família do jovem garantindo que, ao contrário do dito por ele no tribunal, sua vida noturna anda bem agitada. E mais: em uma espécie de prêmio, funcionários da empresa da família recentemente ganharam uma caixa de cerveja dos patrões. Para refrescar a memória: antes de matar um homem no trânsito, Richard participou de uma orgia em um motel, onde consumiu champanhe.

Nocauteou – Na visão do senador Waldemir Moka (PMDB-MS), o relator do processo de impeachment de Dilma no Senado, Antônio Anastasia (PSDB-MG), “nocauteou” o advogado geral da União, José Eduardo Cardoso, que fez a defesa da presidente. O relatório do tucano foi aprovado, ontem, com 15 votos favoráveis e cinco contra.

Sem chance – Segundo Moka, Anastasia “não demorou nem meia hora” para aniquilar o discurso de Cardozo. “Tanto assim que teve um senador que tentou acudir, jogar água, trazê-lo de volta, mas infelizmente não foi possível”, emendou o peemedebista, em intervenção durante reunião da comissão do impeachment, na sexta.

Relatório sólido – Ainda conforme Moka, a solidez no voto de Anastasia jogou por terra o discurso do PT, que temia a presença do PSDB no comando da comissão. O relatório, inclusive, foi elogiado por vários senadores durante a votação.

Não foi fácil – Já a senadora Simone TEbet (PMDB-MS), também integrante da comissão do impeachment, postou vídeo no Facebook minutos após a votação. Destacou a discussão, falando que “não foi tarefa fácil”, que “houve uma disputa democrática e análise criteriosa dos fatos”.

Feliciano – Em outro vídeo postado no Facebook, o deputado federal Elizeu Dionizio (PSDB-MS) aparece ao lado do colega Marco Feliciano (PSC-MS). Ambos convidam a comunidade evangélica de campo Grande a participar, no próximo 21 de maio, da Vigília da Comunhão. Um ato “interdenominacional”, segundo Feliciano, ou seja, pode contar com todas as igrejas. “Venha na expectativa do milagre”, finaliza o parlamentar paulista.

Cantora – A vice-governadora, Rose Modesto (PSDB), durante agenda no Hospital Regional, aproveitou para participar de uma comemoração com os servidores, onde inclusive cantou e até tocou violão. A música escolhida por ela foi "Tocando em Frente", de Almir Sater e Renato Teixeira. Os funcionários gostaram: disseram que a tucana cantou bem e estava afinada.

Cunha e Marun – Para o deputado estadual Pedro Kemp (PT), também comentou o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da Câmara dos Deputados, dizendo que existem provas dos crimes contra ele e até conta na Suíça. O petista emendou críticas ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS), por ser defensor de um “bandido, ladrão e mentiroso”. Disse que fica envergonhado pelas defesas feitas pelo parlamentar de Mato Grosso do Sul.

Marun e Cunha – Já o deputado estadual Eduardo Rocha defendeu o correligionário Marun, dizendo que ele não responde a processo na Justiça e não é porque defende Cunha que é um criminoso. Ainda lembrou que muitos deputados do PT também fazem a defesa de Lula e Dilma: “espero que o senhor tenha mais respeito com o Marun”, alfinetou o peemedebista.

(com a redação)

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions