ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 19º

Jogo Aberto

Após matéria, defesa de sucessor de Minotauro quer sigilo em ação

Anahi Zurutuza | 21/12/2020 06:00
Ederson Salinas foi preso com arma de grosso calibre em briga de trânsito (Foto: Divulgação)
Ederson Salinas foi preso com arma de grosso calibre em briga de trânsito (Foto: Divulgação)

Segredo – A defesa de Ederson Salinas Benítez, 30 anos, apontado como sucessor do narcotraficante brasileiro Sérgio de Arruda Quintiliano Netto, o Minotauro, quer segredo de justiça em processo que o cliente responde por porte ilegal de arma de fogo. É que na sexta-feira, dia 18, o Campo Grande News noticiou andamento da ação judicial.

Citação – O advogado Salomão Abe fez o pedido de decretação de sigilo no mesmo dia que a matéria “Sucessor de Minotauro é liberado da prisão para festar com família na Capital” foi publicada. Ele alega que o cliente “não tem relação alguma” com o narcotráfico.

Risco de morrer – A defesa argumenta que “a referida matéria publicada pode vir a colocar a sua vida [Ederson] e de sua família em perigo, tendo em vista que Ponta Porã se trata de região de fronteira e de fato existe uma guerra pelo poder”.

Tramitação - Ederson foi preso no dia 19 de janeiro deste ano por policiais do Garras (Delegacia Especializada Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestro), em Ponta Porã, durante briga de trânsito. Ele estava armado com pistola calibre 380. Ele ganhou habeas corpus no dia 10 de março e agora, autorização para viajar. Ele poderá ficar fora de Ponta Porã por 20 dias, contados de ontem até 7 de janeiro.

Mandetta na capa da Istoé (Foto: Reprodução)
Mandetta na capa da Istoé (Foto: Reprodução)

Premiado – O médico sul-mato-grossense e ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, foi escolhido pela Revista Istoé como um dos “Brasileiros do Ano” e está na primeira página da última edição junto com outros profissionais da saúde.

Pandemia – Na chamada da capa, a Istoé afirma que médicos são os verdadeiros heróis de 2020. “Não fosse por eles, a pandemia, que já vitimou 200 mil brasileiros, teria sido pior”.

Agradecimento – Pelas redes sociais, Mandetta comemorou o prêmio e aproveitou para fazer campanha pela vacinação em massa o mais rápido possível. “Agradeço à equipe da @revistaistoe e a Editora3 pelo reconhecimento e carinho da redação. O trabalho sempre foi franco e baseado nos pilares da ciência, do SUS e da defesa da vida. Vamos lutar ainda uma batalha muito dura. Vacina Brasil!”.

Ops – A assessoria de imprensa Guarda Civil Metropolitana precisou enviar um “ops” em lista de transmissão para publicação dos resultados da fiscalização do toque de recolher e outras ações da corporação.

Manchete - A divulgação era sobre festa com 50 pessoas encerradas na Avenida Três Barras e foto mostra viaturas em frente a motel. Imagine o título. “Guarda acaba com festa que reunia 50 pessoas em motel”, não é? Não. Os veículos só estavam estacionados no local. Segundo a assessoria de imprensa, a aglomeração era em local em frente ao estabelecimento.

Nos canais – Foi só no dia 11 de dezembro que a comunicação do Ministério da Saúde descobriu o Telegram, aplicativo que permitem a abertura de canais com número ilimitado de usuários. Apesar de terem cadastrado o número que transmite os boletins epidemiológicos da covid-19 para a imprensa diariamente no App continuam fazendo o envio das informações por grupo no WhatsApp, que tem limite de participantes. Vai entender.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias