A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


27/01/2015 06:00

Aumentos "atiçam" protesto contra Dilma na Capital

Edivaldo Bitencourt

Primeiro – A presidente da República, Dilma Rousseff (PT) pode enfrentar o primeiro protesto do segundo mandato em Campo Grande. Ela vem na próxima terça-feira para inaugurar a Casa da Mulher Brasileira.

Revolta – Um grupo convocou o protesto por meio do Facebook. O descontentamento vai desde o aumento de impostos e da gasolina até a restrição aos benefícios sociais, como seguro-desemprego. O ato vai ser perto do Aeroporto, onde Dilma deve desembarcar sob forte esquema de segurança.

Adesão – Pela quantidade de pessoas que confirmaram presença, o protesto contra a presidente da República será um dos maiores na Capital desde a manifestação de junho de 2013. Quase 3 mil já confirmaram presença no ato na terça-feira.

Criada – O prefeito Gilmar Olarte (PP) criou, ontem, a Casa da Mulher Brasileira na estrutura administrativa do município. Construída pelo Governo federal, a unidade vai ser gerenciada pela Secretaria Municipal da Mulher.

Presente de grego – O “calote” no pagamento dos empréstimos consignados é mais uma herança deixada por André Puccinelli (PMDB) para o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Ele vai precisar arrumar dinheiro para evitar que 44 mil funcionários percam o crédito na praça.

Queixas – O tucano reclamou, durante reunião com os deputados estaduais, da conta herdada do antecessor. Apesar da queda de 8% na receita, ele precisa acertar o reajuste do magistério, da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores) e concluir as obras inacabadas.

Consenso – Como o Campo Grande News antecipou, a eleição da Mesa Diretora da Assembleia vai ter consenso. Junior Mochi (PMDB) vai ser eleito presidente. O outro candidato, Zé Teixeira (DEM) abriu mão da disputa em troca da primeira secretaria, que controla o tesouro do legislativo estadual.

Guerra – O PT parece longe da paz. Após o ex-governador e deputado federal eleito Zeca do PT criticar os prefeitos, o presidente regional da sigla, Paulo Duarte, interveio na guerra e acalmou os prefeitos. Mas a divisão, entre os pró e contra Zeca, continua na sigla.

Dezenas – O prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP), estava inspirado na semana passado. Ontem, o Diário Oficial trouxe a sanção de 20 leis aprovadas pelos vereadores e sancionadas pelo chefe do Executivo.

Autorização – A maior parte das leis prevê uma infinidade de bondades, como parto humanizado para adolescentes, isenção de IPTU para igrejas em áreas de comodatos, coleta seletiva no setor têxtil, tratamento para alunos com déficit de atenção, entre outros.

Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions