A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


07/04/2016 06:00

Barrado na Câmara, aumento a servidor viria só em dezembro

Waldemar Gonçalves

Um vício na lei - A reprovação, pela Câmara Municipal, do reajuste de 9,57% para os servidores municipais de Campo Grande não foi exatamente pelo percentual. É que vereadores descobriram que apenas uma minoria teria esse aumento em maio. Para quase 20 mil servidores, a maior parte (6%) viria só em dezembro. “Isso caracteriza um vício dentro da lei”, classificou o presidente da casa, João Rocha (PSDB).

Câmara vs Prefeitura – O prefeito, Alcides Bernal (PP), acusa os vereadores de fazerem politicagem ao não votarem o projeto de reajuste do funcionalismo municipal. João Rocha (PSDB) disse parecer que o chefe do Executivo agiu de má-fé para culpar os parlamentares da não aprovação do projeto, que foi mal negociado com os servidores.

Cadê o líder? – Bernal bateu o pé e, desde seu retorno ao cargo, em agosto passado, não escolheu um vereador para exercer sua liderança na Câmara Municipal. O líder é o parlamentar responsável para dialogar com os demais vereadores e viabilizar, no Legislativo, os projetos enviados pelo Executivo.

Dificuldades – Sem essa pessoa, o prefeito sentiu dificuldade de aceitação de algumas matérias, além de ter sucessivos vetos derrubados. Ontem, ele reclamou de pelo menos dois projetos considerados importantes que haviam sido rejeitados pela mesa diretora da Câmara.

Procurador – Com um mês para decidir, o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), evitou falar ontem quem será escolhido o próximo procurador-geral do Ministério Público Estadual. Lista com dois membros, submetidos a votação dos colegas semana passada, já está nas mãos do chefe do Executivo. Geralmente, é escolhido o mais votado, no caso Paulo Cezar Passos. A posse está marcada para 6 de maio.

Arquivou – O MPE arquivou o inquérito que apurava irregularidades quanto ao excesso de pagamentos ao ex-secretário municipal de Administração, Ricardo Ballock. Os pagamentos teriam sido feitos sem a comprovação das atividades ou folha de frequência dele. A Prefeitura conseguiu provar que a denúncia não era procedente, encerrando o assunto.

Mudanças – A Prefeitura de Campo Grande fez alterações em duas pastas municipais. Na Secretaria de Governo, o cargo de superintendente foi transformado em outros dois cargos, enquanto na Secretaria de Políticas para as Mulheres a função de secretário-adjunto viraram outros três cargos em comissão. Segundo os decretos, a mudança não gera mais despesas para os cofres públicos.

Prestigiados – O governador afirmou, durante a formatura do Corpo de Bombeiros, ontem, que os novos soldados passam a compor a instituição com maior prestígio diante da sociedade. O que, no primeiro momento, é motivo de orgulho, mas que depois terão a responsabilidade de continuar com este serviço de excelência.

No lugar certo – A deputada Grazielle Machado (PR), participou da formatura de novos soldados do Corpo de Bombeiros como paraninfa da turma. Disse que recebeu dos formando o pedido para que fizesse um discurso de improviso. "Por esta razão, não dormi esta noite, de tão emotiva posso até desmaiar, mas não teria melhor lugar para isto", emendou, estando do lado de muitos bombeiros.

Nas escolas – O Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais) reclama que Bernal estaria usando os polêmicos convênios com a Omep e Seleta para substituir administrativos da educação que estão em greve. “Ele não dá aumento, mas gasta por fora”, disse uma das lideranças. Na escola municipal do bairro Rita Vieira, funcionários informaram que duas merendeiras grevistas serão substituídas.

(com a redação)

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions