ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  22    CAMPO GRANDE 21º

Jogo Aberto

CNJ decide na próxima terça destino de desembargadora

Por Marta Ferreira | 20/11/2020 06:00
Tânia Garcia de Freitas, desembargadora afastada do TJMS. (Foto: Arquivo)
Tânia Garcia de Freitas, desembargadora afastada do TJMS. (Foto: Arquivo)

Data marcada – O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) marcou para a próxima terça-feira a conclusão do julgamento de duas investigações abertas contra a desembargadora afastada do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) Tânia Garcia de Freitas. Ela responde a dois processos, um por suspeita de usar o cargo para beneficiar o filho preso por tráfico e outro por tentar interferir em decisão que beneficiaria o namorado.

Placar – Iniciado no dia 10 de novembro, o julgamento pelos conselheiros do CNJ já tem sete votos pela aposentadoria compulsória de Tânia em relação a um dos casos, o da sentença que beneficiaria o coronel da Polícia Militar Admilson Cristaldo. Para o outro procedimento, a tendência é de arquivamento.

Cortesia - Três dias após a eleição que marcou a vitória de Alan Guedes (PP) e a consequente derrota de Barbosinha (DEM), candidato de seu partido, Murilo Zauith se reuniu nesta quinta-feira com o prefeito eleito. Também estavam presentes 16 dos 19 vereadores eleitos domingo.

Já foi - No encontro, Murilo disse que a eleição é assunto passado e a preocupação agora é trabalhar por Dourados. Nos bastidores, no entanto, os comentários sempre foram fortes, desde o começo da campanha, de que Murilo não morria de amores pela candidatura de Barbosinha. Teve até assessor direto dele que admitia votar em Alan Guedes.

Concordo – Em discussão no Senado, a criação de comissão especial para acompanhar o registro das vacinas contra a covid-19 recebeu apoio da senadora de Mato Grosso do Sul Simone Tebet (MDB). A intenção é que o grupo de senadores também fiscalize todo o processo de aquisição e de distribuição das doses.

Prazo - A comissão deve funcionar por 120 dias e ser composta por seis senadores titulares e seis suplentes, respeitada a proporcionalidade partidária.  Simone defende que a comissão seja aprovada imediatamente, com representação pluripartidária, “para não fazer disso uma polêmica”.

Sem mais crise – Nas palavras da parlamentar, agora é hora “de serenidade e calma”. Isso não ser garantido, afirma, se a comissão não for formada corretamente.

Decisões – A Amamsul (Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul) marcou para o dia 27 de novembro assembleia da diretoria em que serão prestadas contas até o mês de outubro deste ano. O encontro será  no meio da tarde, às 16h30 em primeira convocação.

Leiam antes – Para agilizar os trabalhos, os demonstrativos serão encaminhados por e-mail antecipadamente aos associados.  A atual diretoria está em fim de mandato. A nova, presidida pelo juiz Giuliano Martins, de Aquidauana, foi eleita este mês.

Sem festa – Uma decisão já está tomada. Neste ano, a entidade dos magistrados não fará as tradicionais festas de fim de ano. Normalmente, há almoço e jantar. O motivo é de saúde. Ninguém quer se arriscar a contrair e espalhar o novo coronavírus.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário