A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


05/10/2012 06:00

Como assim?

Jogo Aberto

Difícil

Comitê eleitoral de candidato majoritário pesquisou, entre os seus dois mil cabos eleitorais, qual a preferência na eleição em Campo Grande. Para a surpresa dos “chefões” só 600 disseram que votariam no candidato do partido.

On-line

Se a audiência do debate de ontem entre os candidatos foi boa, ainda não se sabe. Mas no Facebook, pelo menos, foi o assunto da noite, com internautas fazendo narração em tempo real e muitas piadas com as falas dos candidatos e as posturas. 

Avaliação

Para uma corrente de peemedebistas, a despeito do crescimento de Alcides Bernal, ele é "melhor" adversário numa disputa com o candidato do partido, Edson Giroto no segundo turno. O entendimento é de que Reinaldo Azambuja (PSDB), terceiro colocado nas pesquisas, seria um adversário mais difícil de ser batido, considerando que é uma espécie de nova eleição, com recomposição de apoios.

Desconstrução

Articulando a troca do marqueteiro da campanha de Giroto, o comando da campanha espera que o novo profissional seja capaz de “desconstruir” a imagem de Bernal e colocá-lo com uma opção sem experiência política, além de explorar o perfil populista do deputado estadual.

Dívida na padaria?

A Prefeitura de Costa Rica teria valores altos de endividamento. Há a informação de que até o bolo de aniversário da cidade estaria “em aberto” na padaria.

República de Campinas

Outra informação que vem do município é que o ex-secretário de Cultura de Campo Grande, Franciso Lagos, é o marqueteiro de campanha do prefeito Jesus Baird (PMDB), que concorre à reeleição no município.

Passado

No ano passado, Lagos esteve envolvido num escândalo de desvio de verbas públicas que atingiu o primeiro-escalão da prefeitura de Campinas (SP). Ele foi coordenador de Comunicação na cidade.

Não tem jeito

Cotado para ser um dos mais votados na disputa pela Câmara Muncipal em Campo Grande, o ex-governador Zeca do PT pode perder alguns eleitores por um motivo prosaico: a associação que o eleitor faz dele com o número da legenda.

Não é 13?

A equipe dele tem enfrentado dificuldade de explicar para o eleitor que Zeca não é mais sinônimo do número 13, que usou nas tantas eleições disputadas para o governo do Estado e prefeitura. Agora, ele usa cinco números, mas muitos insistem no número da legenda. 

Quem ganha

Se o número de eleitores que vão votar em Zeca pode ser reduzido com essa confusão, o partido, por outro lado, comemora, afinal os votos irão para Vander Loubet e podem ajudar o desempenho dele a ser menos ruim do que prevêem as pesquisas.

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions