A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


04/02/2011 06:00

Replay

Jogo Aberto

Naufragou o acordo de revezamento entre os senadores Delcídio do Amaral (PT) e Eduardo Suplicy (PS-SP) na presidência da CAE (Comissão de Assuntos Econômicos). O Campo Grande News apurou que Suplicy enfrentou restrições do governo e como o Regimento Interno dá margem à interpretação de que o revezamento não é possível, ninguém quer arriscar. Com isso, Delcídio garante 2 anos à frente da comissão.

O presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia, falou ontem com cada um dos vereadores angariando apoio para o projeto de lei para liberar shows da Expogrande no Parque Laucídio Coelho. Ele ficou muito frustrado quando o presidente Paulo Siufi (PMDB) encaminhou o documento para a Procuradoria Jurídica da Casa.

Presidente da Associação dos Guardas Municipais, Alberto da Costa Melo, está preocupado com a possibilidade de se adotar o “bico oficial” em Campo Grande. Autoridades paulistas e paulistanas adotam a contratações dos policiais militares em horas de folga para trabalharem em funções oficiais. O Rio de Janeiro estuda copiar a ideia.

Para Alberto, o trabalho dos policiais na hora de folga pode trazer prejuízo ao trabalho deles, que estarão mais cansados. Ele externou a preocupação ao prefeito Nelsinho Trad, em discurso ontem na Guarda Municipal.

Após ouvir do presidente da Associação dos Guardas Municipais um pedido de aumento da remuneração da categoria, Nelsinho resumiu o que pensa do cargo que ocupa. “Ser prefeito não é ser bonzinho, é ser justo”, disse. Em seguida, o prefeito informou como o guarda deveria encaminhar a solicitação.

O deputado Pedro Kemp (PT) promete propor, na primeira sessão do ano, no dia 15, um projeto de resolução alterando o Regimento Interno para acabar com o intervalo de 13 dias entre a posse dos deputados e o início dos trabalhos legislativos. Na prática, o projeto só servirá para o ano legislativo de 2015.

O Operário, que estreia no Estadual 2011 após dois anos de jejum, parece ter feito voto de silêncio. Apesar do “Comerário” estar marcado para o próximo dia 12, no Morenão, o Galo foi o único time a não apresentar o elenco. O presidente Tony Vieira sequer atende ao telefone.

Já o Comercial apelou para rifa, leilão de camisa oficial da final do ano passado (quando o time foi campeão) e agora está fazendo até bolão para o resultado do jogo contra o Vasco, dia 24, no Morenão, pela Copa do Brasil. Tudo para arrecadar dinheiro.

O presidente do Comercial, Carlos Alberto de Assis, tem pedido até doações aos torcedores e à imprensa para o time. Ele diz que o Colorado aceita inclusive alimentos e materiais de limpeza.

Se no ano passado não faltou Stand Up em Campo Grande com os humoristas do CQC, em 2011 não será diferente. Já tem peça marcada até para setembro, quando Marco Luque volta à cidade, mas desta vez com o espetáculo solo "Labutaria", que estreou há pouco.

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions