ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 27º

Jogo Aberto

Deputado de MS assume comando da Unale

Por Adriel Mattos | 20/01/2022 06:00
Lídio assumiu no lugar da deputada baiana Ivana Bastos. (Foto: Divulgação/Unale)
Lídio assumiu no lugar da deputada baiana Ivana Bastos. (Foto: Divulgação/Unale)

Sob nova direção – O deputado estadual Lídio Lopes (Patriota) tomou posse na quarta-feira (19) como presidente da Unale (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais). Ele foi eleito durante conferência realizada em novembro de 2021 em Campo Grande.

Vim de baixo – A solenidade de posse foi em Brasília (DF). “Fui um menino humilde, engraxate, mas tinha sonhos. Me tornei funcionário público, vereador e hoje, como deputado estadual, presidente da maior entidade legislativa da América Latina”, disse Lídio no discurso de posse.

De novo – O ex-senador Delcídio do Amaral (PTB) contraiu covid-19 pela segunda vez. “Testei positivo novamente, mas graças às vacinas - duas doses mais o reforço - os sintomas são como se fosse uma forte gripe mas que posso cuidar em casa mesmo”, escreveu no Facebook.

Duas doenças – Em 2020, Delcídio teve covid-19 e dengue ao mesmo tempo. Ele chegou a apelidar a dupla infecção de “covengue”. “Foi punk, com duas internações pesadas”, lembrou.

E aí, pessoal? – O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) cobrou uma decisão da cúpula do União Brasil, partido que será fruto da fusão entre DEM e PSL, sobre o rumo para as eleições deste ano. Os dirigentes já mudaram de ideia e seguem indecisos sobre uma candidatura à Presidência.

Vai ou racha – Mandetta quer saber ele será o candidato ou o partido vai apostar no ex-ministro Sergio Moro. “É necessária uma reunião para saber quem sai e quem fica no partido. E para nos organizarmos sobre o pleito presidencial. Temos que dar um rumo. As pessoas têm que saber qual a diretriz da União Brasil. Isso tem que ser feito pelo partido de forma ampla e democrática”, disse à revista Crusoé.

Calma lá – A diretoria da Agems (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de MS) não gostou da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul) anunciar que garantiu a capacidade econômico-financeira conforme o novo Marco Legal de Saneamento. É a Agems quem deveria dar essa garantia.

Selo de qualidade – A ANA (Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico) incluiu a companhia sul-mato-grossense na lista. “Mais uma vez, a Sanesul mostra seu compromisso e atitude com a população sul-mato-grossense e de forma eficiente, atende e se adapta às grandes mudanças do setor de saneamento”, declarou o diretor-presidente Walter Carneiro Jr.

Nós que decidimos – A Agems chegou a emitir nota alfinetando a Sanesul. “Diferente do que foi divulgado recentemente, a agência reguladora não emitiu o documento que comprova que a companhia está apta financeiramente para atuar em prol dos municípios nos próximos anos”, diz o comunicado.

Esperem – Na nota, a autarquia esclarece que o processo ainda está em análise pela Diretoria de Regulação e Fiscalização de Saneamento Básico e Resíduos Sólidos. O resultado só deve sair em março.

Nos siga no Google Notícias