A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


01/03/2018 06:00

Em SP, Reinaldo se reúne com Alckmin

Marta Ferreira

Agenda - Reinaldo Azambuja (PSDB) passa o resto da semana em São Paulo. Desde ontem ele e o secretário de Governo, Eduardo Riedel, negociam com o Banco Santander a administração da folha de pagamento do funcionalismo estadual, que envolve 460 milhões por mês.

Encontro - Na programação, o governador tem também reunião com seu colega paulista, Geraldo Alckmin. O assunto é a eleição 2018. Os dois são candidatos. Reinaldo à reeleição e Alckmin a presidente da República. Azambuja retorna a Mato Grosso do Sul no final de semana.

Assunto da hora - Em meio a uma agenda política nesta semana, o governador teve um momento de descontração. Comentou a preocupação que ronda o mundo esportivo, com a contusão do craque Neymar, que vai ter de fazer cirugia depois de se machucar no fim de semana passado. 

Temor - Reinaldo é corintiano, mas deixou o "clubismo" de lado para comentar que é essa é uma preocupação séria do país, considerando que o ex-santista é hoje o principal nome da seleção brasileira, que se prepara para a Copa da Rússia.

Nova tentativa - Para justificar a representação do projeto que proíbe a pesca de dourado, apesar da questão ter sido rejeitada no ano passado, Belo Pereira disse que tinha perdido uma batalha e não a guerra.

Precisamos melhorar- Os deputados voltaram a reclamar dos vetos do governador, mas no final do debate disseram que as comissões e análises jurídicas devem ser mais zelosas, para evitar este desgaste.

Tudo certinho - O presidente da Assembléia, Junior Mochi, comemorou que com a formação das comissões, os projetos novos poderão ser analisados na Assembléia, sem acumular trabalho.

Defesa - Antes de ser tornada pública a demissão de Ricardo Segóvia da Polícia Federal, o superintendente em MS, nomeado por ele, defendeu o chefe, afirmando que o agora ex-diretor foi mal interpretado na entrevista que foi o estopim da saída tão breve, após três meses. Para Luciano Flores a intenção de Segóvia não era de interferir nas investigações envolvendo o presidende Michel Temer, "muitro menos de tentar que elas fossem arquivadas".

Momento - Para Flores, Segóvia se manifestou em meio ao processo de avaliação pela sociedade. "Mas eu não acredito que ele tivesse qualquer intenção de interferir nas investigações". O inquérito apura o suposto pagamento de propina na edição, por Temer, de um decreto relacionado ao setor de portos.

E agora? - A queda de Segóvia abre um novo ponto de interrogação na cúpula da PF no Estado. Um novo chefe desse ser nomeado e a dúvida é: Luciano Flores, que acabou de chegar, vai ser mantido, assim como as mudanças que ele fez?

(Com Mayara Bueno, Leonardo Rocha e Aline Santos)

MS é líder de grana para a celulose
Menina dos olhos – Mato Grosso do Sul segue como o estado com mais previsão de investimentos da indústria da celulose. Projeção da Ibá (Indústria Bra...
Os presos da Lama Asfáltica em números
1 mês – Nesta segunda-feira (19), o ex-governador André Puccinelli (MDB), o filho dele André Puccinelli Júnior e o advogado João Paulo Calves complet...
Rotatória da Coca-Cola e a falta de educação
Boca-suja– O diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Trânsito), Janine de Lima Bruno, contou nesta semana que mudanças na confluência ent...
MDB teve divisões sobre Mochi candidato
Opinião – O deputado Eduardo Rocha (MDB) admite que a escolha de Junior Mochi para candidato na legenda não teve consenso desde o início, após a desi...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions