ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 31º

Jogo Aberto

Ex-secretária de Bernal não quer falar "golpe"

Por Edivaldo Bitencourt | 26/03/2014 06:00

Disputa – Após um giro pelo interior, os procuradores de Justiça, Irma Vieira de Santana e Anzoategui, e o Humberto Matos Brites, centram a campanha, a partir de hoje, na Capital. Eles são os dois candidatos a chefe do MPE (Ministério Público Estadual). A eleição acontece na sexta-feira.

Pro forme – A disputa não terá muito efeito prático. Primeiro, porque os dois candidatos vão compor a lista triplica. Segundo, o governador André Puccinelli (PMDB) indicará quem quiser, independente do resultado da votação.

Ecumênico - Pastor e fundador da Igreja Assembleia de Deus da Nova Aliança, o prefeito Gilmar Olarte (PP) fez questão de conversar com o arcebispo Dom Dimas Lara Barbosa. O objetivo foi destacar o caráter ecumênico e rebater as acusações feitas na campanha de 2012, de que um evangélico não governaria para todos.

Propaganda – O queniano David Owour, conhecido como “Profeta da Chuva”, escolheu Campo Grande para realizar, pela primeira vez, um evento aberto ao público em geral no Brasil. Em São Paulo e Rio de Janeiro, ele fez reuniões fechadas apenas para pastores.

Números – Os organizadores do evento com o religioso queniano propagavam, ontem, que o encontro no Parque das Nações Indígenas, ontem e hoje, é o maior já realizado na cidade. No entanto, o Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial, já reuniu 60 mil pessoas no Parque Airton Senna, na Capital.

Regras – O religioso impôs uma série de regras para quem quiser cobrir o evento no Parque das Nações Indígenas. A imprensa tem espaço reservado e fotógrafo só terá de 10 a 15 minutos para tirar fotos no palco.

Dia – Cresce a tensão nos meios políticos com o fim do prazo para os ocupantes de cargos de cargos públicos decidir sobre a participação nas eleições deste ano. O prazo para renunciar é 5 de abril. O mesmo prazo vale para desincompatibilização dos candidatos que ocupam cargos comissionados.

Lista – O governador André Puccinelli (PMDB), pressionado para disputar o Senado, lidera a lista de quem deve abrir mão do mandato para ser candidato. O segundo é o prefeito de Dourados, Murilo Zauith (PSB), que pode disputar o Governo e pode abrir mão de dois anos e meio de administração no município.

Sinônimo – A vereadora Thaís Helena (PT) busca no dicionário uma palavra que seja sinônimo de golpe para definir a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP). Apesar de não aceitar a nova administração, ela não descarta seguir a orientação do partido e passar a integrar a base aliada de Gilmar Olarte na Câmara Municipal.

Sem paz – A exoneração de Ivandro Fonseca da Secretaria Municipal de Saúde não deve por fim a eterna briga com Paulo Siufi (PMDB). Ele já registrou boletim de ocorrência contra o parlamentar. O vereador, agora, mira a bateria contra os contratos firmados por Fonseca no comando da Sesau.

(colaboraram Kleber Clajus e Elverson Cardozo)

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário