A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Outubro de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


21/03/2014 06:00

Gilmar e a mão de Deus

Edivaldo Bitencourt

Novo estilo – O prefeito Gilmar Olarte (PP) vem imprimindo um novo estilo na administração municipal. Ontem, ele determinou a um dos assessores de comunicação que retirassem a foto do antecessor, Alcides Bernal (PP), do Facebook. A imagem mostrava o antecessor dormindo no voo de volta de Brasília.

Aguerrido – O funcionário pretendia imprimir o estilo polêmico das antecessoras no posto, onde assumiam as dores do prefeito e o defendiam com fervor, devoção e ódio. O assessor até justificou que retirou a foto para acatar determinação do chefe. Ou seja, o estilo é de paz e trabalho.

Indicação – Olarte fez uma avaliação de como chegou ao cargo de prefeito de Campo Grande. “Em primeiro lugar, quem nos colocou aqui foi a mão de Deus. Em segundo, foi a necessidade de salvar Campo Grande”, revelou.

Cão – O prefeito recorreu a fábulas para contar como pretende administrar a cidade. Ele disse que não pretende ser igual a Keko, o cachorro do secretário de Administração, Waltemir Alves de Britto. “Ele late como se fosse valente, mas é só a gente bater o pé, que saia correndo”, disse. A mensagem é para os defensores de Bernal, que ficam propagando o suposto golpe.

Quieto - “Quem fala demais, faz pouco”, disse Gilmar Olarte. E após fazer a declaração, decidiu encerrar a prosa com a imprensa e partir para mais um dos compromissos. Na sua avaliação, Bernal mais falava do que fazia. Em um ano e dois meses, por exemplo, o antecessor só inaugurou uma obra, o recapeamento da Avenida das Bandeiras.

Devagar – O deputado estadual Paulo Corrêa (PR) definiu Bernal. Ele disse que só Semy Ferraz, secretário de Obras, conseguia andar na administração do prefeito cassado. “E mesmo assim, a duras penas”, lamentou o republicano.

Moicana – A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) foi a única a votar pela manutenção dos vetos do prefeito cassado Alcides Bernal. Ela foi a única dos seis vereadores, que votaram contra a cassação de Bernal, a manter a postura de oposição a nova administração.

Dilema – O PMDB vive um grande dilema, como lançar as candidaturas de André Puccinelli e Simone Tebet , respectivamente, candidatos a senador e primeiro suplente, sem deixar o governo nas mãos da oposição. O sucessor natural, presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos, não faz mistério que vota em Delcídio do Amaral.

Dia – O dia da decisão está chegando, mas pode ser antecipado. O governador faz mistério, mas dirigentes do PMDB e Simone apostam que o martelo será batido no dia 27 de março deste ano. Puccinelli tem até 5 de abril para renunciar ao cargo e disputar as eleições de 2014.

Vantagem – O governador manteve o mistério sobre a candidatura, mas propagou, ontem, que pesquisas internas lhe dão ampla vantagem sobre qualquer adversário. Após falar dos números, ressaltou que ainda não tomou a decisão se vai ou não para a disputa.

(colaboraram Kleber Clajus , Leonardo Rocha e Angela Kempfer)

Dagoberto mente, diz liderança do PDT
É fake – As última declarações do deputado federal e presidente do PDT em Mato Grosso do Sul, Dagoberto Nogueira, sobre os pedidos de expulsão do jui...
Adeus a "Playboy" tem foto de bebida na mesa de bar
Despedida – Tem gosto amargo e dolorido, principalmente para as pessoas próximas, a última foto postada nas redes sociais por Marcel Colombo, conheci...
Campanha, tiro na escola e oportunismo
“Guerra virtual” – Não podia ser diferente. O episódio lamentável em que uma criança de 9 anos entrou armada na sala de aula em Campo Grande e atirou...
Justiça agora pode até cobrar Delcídio
Ainda à espera - A Justiça Eleitoral rejeitou o registro de candidatura de Delcídio Amaral (PTC) ao Senado, depois da derrota nas uras. A juíza Eliza...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions