A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


21/03/2014 06:00

Gilmar e a mão de Deus

Edivaldo Bitencourt

Novo estilo – O prefeito Gilmar Olarte (PP) vem imprimindo um novo estilo na administração municipal. Ontem, ele determinou a um dos assessores de comunicação que retirassem a foto do antecessor, Alcides Bernal (PP), do Facebook. A imagem mostrava o antecessor dormindo no voo de volta de Brasília.

Aguerrido – O funcionário pretendia imprimir o estilo polêmico das antecessoras no posto, onde assumiam as dores do prefeito e o defendiam com fervor, devoção e ódio. O assessor até justificou que retirou a foto para acatar determinação do chefe. Ou seja, o estilo é de paz e trabalho.

Indicação – Olarte fez uma avaliação de como chegou ao cargo de prefeito de Campo Grande. “Em primeiro lugar, quem nos colocou aqui foi a mão de Deus. Em segundo, foi a necessidade de salvar Campo Grande”, revelou.

Cão – O prefeito recorreu a fábulas para contar como pretende administrar a cidade. Ele disse que não pretende ser igual a Keko, o cachorro do secretário de Administração, Waltemir Alves de Britto. “Ele late como se fosse valente, mas é só a gente bater o pé, que saia correndo”, disse. A mensagem é para os defensores de Bernal, que ficam propagando o suposto golpe.

Quieto - “Quem fala demais, faz pouco”, disse Gilmar Olarte. E após fazer a declaração, decidiu encerrar a prosa com a imprensa e partir para mais um dos compromissos. Na sua avaliação, Bernal mais falava do que fazia. Em um ano e dois meses, por exemplo, o antecessor só inaugurou uma obra, o recapeamento da Avenida das Bandeiras.

Devagar – O deputado estadual Paulo Corrêa (PR) definiu Bernal. Ele disse que só Semy Ferraz, secretário de Obras, conseguia andar na administração do prefeito cassado. “E mesmo assim, a duras penas”, lamentou o republicano.

Moicana – A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) foi a única a votar pela manutenção dos vetos do prefeito cassado Alcides Bernal. Ela foi a única dos seis vereadores, que votaram contra a cassação de Bernal, a manter a postura de oposição a nova administração.

Dilema – O PMDB vive um grande dilema, como lançar as candidaturas de André Puccinelli e Simone Tebet , respectivamente, candidatos a senador e primeiro suplente, sem deixar o governo nas mãos da oposição. O sucessor natural, presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos, não faz mistério que vota em Delcídio do Amaral.

Dia – O dia da decisão está chegando, mas pode ser antecipado. O governador faz mistério, mas dirigentes do PMDB e Simone apostam que o martelo será batido no dia 27 de março deste ano. Puccinelli tem até 5 de abril para renunciar ao cargo e disputar as eleições de 2014.

Vantagem – O governador manteve o mistério sobre a candidatura, mas propagou, ontem, que pesquisas internas lhe dão ampla vantagem sobre qualquer adversário. Após falar dos números, ressaltou que ainda não tomou a decisão se vai ou não para a disputa.

(colaboraram Kleber Clajus , Leonardo Rocha e Angela Kempfer)

Após "perder" cargo, deputado muda o tom
Mudou – Antes cotado para assumir uma secretaria do governo do Estado, o deputado Coronel David (PSC) está agindo ultimamente como oposição ao Govern...
Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions