A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


20/01/2015 06:00

Funcionários ameaçam "xerife" da saúde e secretário intervém

Edivaldo Bitencourt

Sem mudanças – O senador Delcídio do Amaral (PT) nega que esteja promovendo mudanças na equipe após a derrota nas eleições do ano passado. Ele disse que o escritório em Campo Grande só está fechado por causa do recesso parlamentar, que termina neste mês.

Não muda – O senador também negou mudança no comando do diretório municipal na Capital. O PT deve manter Gildo de Oliveira na presidência apesar do fiasco em Campo Grande nas eleições de outubro do ano passado. Só vai mudar o comando regional, mas a pedido do prefeito Paulo Duarte.

Defesa – O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Jerson Domingos (PMDB), defendeu o ex-governador André Puccinelli (PMDB) das críticas do sucessor, Reinaldo Azambuja (PSDB). O tucano tem dito que há um pacote de maldades e um rombo nas contas públicas.

Juízo – Jerson disse que o peemedebista nunca “perdeu e jamais vai perder o juízo” como administrador público. Ele classificou como “questão passageira” a avaliação feita por Reinaldo e que deve passar em nome do trabalho por Mato Grosso do Sul.

Aval – O presidente do legislativo destacou que o Tribunal de Contas vai avaliar se houve eventual desrespeito à Lei de Responsabilidade Fiscal. Jerson deve assumir o cargo de conselheiro do TCE ainda neste mês.

Chantagem – Os funcionários e médicos estão revoltados com a administradora do Hospital da Criança do SUS, o Centro Municipal Pediátrico, Renata Guedes Alves Allegretti. Ela comanda a equipe que vem vistoriando os postos de saúde e fazendo um raio-X nos atestados médicos. Os descontentes ameaçam espalhar outdoors contra a “xerife da saúde” em vários pontos da cidade.

Paz – O secretário municipal de Saúde, Jamal Salem, decidiu intervir e colocar panos quentes no conflito. Ele pediu a compreensão dos descontentes e mais cautela para Renata na execução das medidas para melhorar o atendimento nos postos de saúde.

Divididos – Os deputados federais de Mato Grosso do Sul devem se dividir entre os candidatos a presidente da Câmara dos Deputados: Arlindo Chinaglia (PT), Eduardo Cunha (PMDB) e Júlio Delgado (PSB).

Nem sempre – O deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM) está no grupo de indecisos, apesar da sigla ter fechado apoio a Delgado. No entanto, o socialista já conta com os votos de Tereza Cristina (PSB) e Márcio Monteiro (PSDB). Se o democrata aderir, ele fica com três dos oito votos no Estado.

Restante – Zeca do PT e Vander Loubet fecham com Chinaglia. Carlos Marun e Geraldo Rezende votam em Cunha. Dagoberto Nogueira (PDT) ainda não anunciou em quem vota para comandar o legislativo neste ano.

(colaboraram Juliene Katayama, Kleber Clajus e Michel Faustino)

Após "perder" cargo, deputado muda o tom
Mudou – Antes cotado para assumir uma secretaria do governo do Estado, o deputado Coronel David (PSC) está agindo ultimamente como oposição ao Govern...
Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions