ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 29º

Jogo Aberto

Matador Ronnie Lessa toma tarja preta em Campo Grande

Por Caroline Maldonado, Jackeline Oliveira e Gabriela Couto | 25/01/2024 06:00



Ronnie Lessa quando foi preso acusado pelo assassinato de Marielle Franco. (Foto: O Globo)
Ronnie Lessa quando foi preso acusado pelo assassinato de Marielle Franco. (Foto: O Globo)

Presídio Federal - Morador ilustre da Capital, o ex-sargento da Polícia Militar Ronnie Lessa é considerado interno exemplar dentro do Presídio Federal de Campo Grande. O Jornal O Globo divulgou relatório sobre comportamento do homem considerado matador cruel, acusado do assassinato de Marielle Franco. O detento de "boa conduta carcerária" participa até de projetos para remição de pena, como leitura de livros e realização de cursos, informou o Sistema Penitenciário Federal.

Tarja preta - Mas a cadeia com regras severas não parece ter feito bem ao corpo dele. O ex-PM passou a usar medicamentos para hipertensão arterial, além de outros três remédios tarja preta, psicotrópicos para equilibrar os humores do matador de aluguel. Os advogados do preso alegam depressão, transtornos do pânico e ansiedade.

Devidamente orientados - Os prefeitos candidatos já receberam a lição de casa sobre o que podem e o que estarão proibidos de fazer na campanha eleitoral deste ano. Durante evento reunindo a maioria dos dirigentes municipais na Assomasul, na segunda-feira, um dos palestrantes foi o desembargador do TJMS Ary Raghiant Neto. Ele apresentou slides e descreveu as diversas condutas vedadas, como a presença em inaugurações. Mais didático impossível.

Pra não ser esquecido - O ex-governador Reinaldo Azambuja (PSDB) tem usado as redes sociais para divulgar vários programas e obras que iniciaram enquanto ele comandava o Estado. Nesta quarta-feira (24) foi a vez de ressaltar que as obras da Ponte Bioceânica começaram em sua gestão e que já estão mais de 40% concluídas.

Nas ruas - Se fizer um ranking dos vereadores que mais andam por aí, certamente Roberto Avelar, o “Beto” (PSD,) estará entre os primeiros. Líder da prefeita na Câmara, ele adora exibir investimentos. Mesmo em recesso parlamentar, na quarta-feira (24), ele foi ao Terminal Júlio de Castilhos, para mostrar os bebedouros novos instalados. Os aparelhos com água gelada vieram depois de pedido do vereador Ronilço Guerreiro (Podemos), outro que está entre os que mais se movimentam pela cidade, expondo os problemas para buscar soluções.

De folga - No período sem sessões e votação de projetos, os vereadores mais ativos, em especial os de primeiro mandato, não suportam a monotonia, enquanto alguns somem das redes sociais. O vereador Juari Lopes (PSDB), o “Prof. Juari”, resolveu abrir caixinha de perguntas nos stories do Instagram para saber o que os seguidores querem dele. Já pré-candidato à prefeitura da Capital, André Luís Soares, o “Prof. André” (Rede), por sua vez, foi à aldeia Água Bonita ouvir demandas. Ocorre que o ano é eleitoral e em outubro eles estarão nas urnas.

Multado - O Ministério Público ingressou com cumprimento de sentença para receber do ex-prefeito de Campo Grande Alcides Bernal o valor de R$ 254.306,02. A quantia refere-se a uma condenação por improbidade que ele sofreu no ano passado por autopromoção na Administração Pública. Na petição, o MP pede que Bernal seja intimado a depositar o valor em 15 dias, sob pena de sofrer multa de 10%. Não havendo pagamento, já consta o pedido para que o valor seja bloqueado em conta bancária.

Liminar à espera - O pedido de liminar contra o Ifood.com só será analisado na 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos após o Ministério Público Estadual opinar sobre a demanda. A Adecon (Associação de Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul) ingressou em dezembro com uma ação civil pública alegando que há cobranças desproporcionais e não justificadas de taxa de serviço. A entidade pede que a Justiça afaste a cobrança e defina multa de até R$ 2 milhões/ dia por descumprimento. Se a demanda for julgada procedente, a Adecon quer que o Ifood pague R$ 815,2 milhões em dano moral coletivo.

Reconhecimento internacional - O laboratório forense da Polícia Científica de Mato Grosso do Sul recebeu reconhecimento internacional por ser aprovado no Programa de Proficiência do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes, da ONU (Organização das Nações Unidas). A instituição demonstrou sucesso ao identificar corretamente todas as substâncias presentes nas quatro amostras submetidas aos testes. Desta forma, o Estado entra para a lista de referência para laboratórios forenses de toxicologia e análise de drogas em todo o mundo.

Nos siga no Google Notícias