A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


07/03/2011 06:00

Volta por cima

Jogo Aberto

Questionado sobre a possibilidade do incêndio na Prefeitura ter sido criminoso, o prefeito Nelson Trad Filho foi enfático: "não tem nada disso". Mas, em seguida, fez uma brincadeira. "Se bem que a urucubaca que está na minha cabeça...", comentou. Ele se refere à chuva, que tem causado inúmeros prejuízos na cidade.

O senador Waldemir Moka (PMDB), que é ex-deputado federal, continua em um apartamento funcional da Câmara. Ele está na lista dos senadores que aguardam liberação dos imóveis funcionais pelo Senado e que obtiveram autorização informal da direção das duas Casas para continuar, por enquanto, no antigo endereço.

Enquanto muitos deputados curtiam o Carnaval, o deputado estadual Júnior Mochi (PMDB) foi no domingo até a base eleitoral dele, em Coxim, visitar as famílias que ficaram desabrigadas ou desalojadas por conta da chuva, que não deu trégua.

O vereador de Corumbá Antônio Viana (PT), mais conhecido como Galã, quer que a Vale do Rio Doce dê uma ajudinha para as obras emergenciais de drenagem. Ele quer que uma comissão vá para procurar a siderúrgica para pedir a antecipação de impostos. “A multinacional anunciou um dos maiores lucros do mercado dos últimos anos e nada mais justo que se faça essa contrapartida, adiantando o imposto que chega a R$ 1,2 milhão por mês até setembro deste ano”, disse.

A reforma política pode acabar com uma estratégia comum na política, a escolha de suplentes com muito dinheiro e influência política para alavancar ainda mais as campanhas. A Comissão de Reforma Política discute o fim dos suplentes de senador.

Na eleição passada, o senador Delcídio do Amaral (PT) contou com o apoio do suplente Pedro Chaves (PSC). O ex-dono da Uniderp declarou patrimônio de R$ 69 milhões. Já Waldemir Moka (PMDB) contou com a suplente Antonieta Trad, conhecida pelo empenho durante as campanhas eleitorais.

Em época de negociação salarial, a Polícia Civil já colocou até outdoor reivindicando a redução do interstício, que é o tempo mínimo que o policial deve permanecer em um posto ou graduação antes de ser promovido.

O cantor sul-mato-grossense Luan Santana estreou ontem no Carnaval e logo em Salvador, como convidado especial de Ivete Sangalo na comemoração dos dez anos do Bloco Coruja. Os dois cantaram "Meteoro da Paixão" e “Química do Amor”. “É a minha primeira vez em cima de um trio, minha primeira vez no Carnaval. Só trabalhei em lugares alternativos ao Carnaval", disse o cantor sertanejo ao site Ego.

Apesar de ter se mudado para São Paulo após ter passado no vestibular da Escola de Arte Dramática, o comediante sul-mato-grossense Arce Correa marcou presença no Carnaval de Corumbá, o maior do Centro-Oeste. Com suas roupas extravagantes, a personagem Maria Quitéria chegou em uma caminhonete para abrir o desfile das escolas do grupo de Acesso, no domingo.

Os índios de Dourados, que ficaram conhecidos nacionalmente como sinônimos de fome e miséria, se uniram para superar os problemas. As mulheres da Reserva Indígena criaram a Fundação da Associação de Mulheres Indígenas de Dourados, onde elas aprendem uma profissão e se tornam empreendedoras, produzindo artesanatos ou fabricando sabonetes.

Só praças estão presos por cobrar propina
Só praças – A investigação sobre o envolvimento de policiais militares com a “Máfia do Cigarro” indica que, por ora, não há oficiais entre os policia...
Pezão pede dica a Reinaldo sobre dívida
Pedido de ajuda - Ao anunciar ontem o depósito do décimo-terceiro salário dos servidores, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) reforçou o discurso d...
Após "perder" cargo, deputado muda o tom
Mudou – Antes cotado para assumir uma secretaria do governo do Estado, o deputado Coronel David (PSC) está agindo ultimamente como oposição ao Govern...
Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...


Nosso estado precisa de gente que não vive de política. Que tenham capacidade administrativa e visão empreendedoras para tentar transformar um estado onde o coronelismo e a acomodação predominam. Se fizermos uma comparação com MT, dá vergonha. Acredito que o Senador Delcídio e o professor pedro Chaves trariam algo inovador além de empreender para algo que engaje MS dentro do contexto.
 
Paulo Santos em 18/03/2011 02:30:00
o que falta a meu ver, não é só o prefeito andar pela cidade, pra isso ele tem assessoria, secretários, este sim são culpados da cidade estar um caos, ficam nas sua salas com ar condicionado, tratando o povo, isso quando recebem, e deviam saber que quem paga o luxo deles, somos nós! Levantem da cadeira e vão trabalhar cambada!
 
Neide Albuquerque em 10/03/2011 11:25:16
Que saudade do Pucinelli como prefeito, o sr. Nelsinho não sabe sequer o nome da rua da sua casa, não anda pela cidade como fazia o Andrezão, é comum encontrar cruzamentos onde o "PARE" é pintado somente em um dos lados da rua de espera, a tinta usada parece ser guache (água) e o imposto como sabemos subiu como um meteoro.
 
Rubens Riveiros em 09/03/2011 09:56:53
Urucubaca: nome que damos ao erro que cometemos e ainda não conseguimos ver de verdade o que é.

Antônio Viana, Galã de Corumbá... porque os partidos não doam uma quantia do seu patrimônio ao invés das empresas que geram empregos?
É por essas e por outras que as industrias fogem de MS como o diabo foge da cruz...
 
Antônio Marcos Alencar em 09/03/2011 08:52:39
Leitura política equivocada caro Nivaldo Justi, O Senador Delcídio será Governador em 2014, e Chaves Senador, a partir de 2015, o povo quer assim.
 
gilmar gonçalves em 08/03/2011 10:11:53
A sorte parece que sorrir para os mais preparados, a nossa cidade encontra-se em uma situação muito difícil com relação a infra-estrutura, não me recordo de ver a cidade morena tão mal cuidada, ruas esburacadas e não adianta colocar a culpa na chuva pois antes das intempéries já estava assim, mal sinalizadas, obras paradas, e outra coisa me chama a atenção são os altares colocados em cada obra realizada " obra nr tal"como se não fosse obrigação do poder público arruma um viaduto que desabou, fazer alguns metros de asfalto, arrumar uma ponte etc. Sr prefeito de Campo Grande ande mais um pouco pela cidade que o sr verá que a cidade está abandonada ou será que o senhor só está interessado em aumentar impostos? E não adianta colocara a culpa na urucubaca, a sorte sorrir para os mais preparados.
 
Luis Gustavo Monteiro dos Santos em 08/03/2011 09:54:18
Não é urucubaca não. É incompetência que está na sua cabeça, infelizmente que lê jornais não elegem ninguém, quem elege é quem limpa a bunda com ele.
 
osmiro capistrano da costa em 08/03/2011 04:12:43
O tempo todo chove, o tempo todo encontramos armas para criticar, mas DEUS sabe o que faz e os homens de bem e de compromisso saberão nao mudar o rumo do desenvolvimento.
 
Carlos Magno Miranda em 07/03/2011 08:33:44
Acho que Pedro Chaves , suplente de Delcídio , nunca podia imaginar que o mesmo continuaría com o cargo de semandor ... pensou ,, ele vai para algum ministério e eu assumo como senador .... vai me dizer que não foi essa a intenção kkkk
 
Nivaldo Justi em 07/03/2011 03:39:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions