ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 29º

Jogo Aberto

Nem fumaça faz assessoria funcionar

Por Edivaldo Bitencourt | 19/07/2013 06:00

“Delícia” – O vereador Waldecy Chocolate (PP) vai pagar uma promessa de campanha na favela Cidade de Deus. O parlamentar vai fazer jus ao nome e se fantasiar de chocolate para distribuir cestas básicas para famílias carentes. Agora, será que ele vai levar a guloseima ou deixará muita criança com água na boca.

Carro novo – O prefeito Alcides Bernal (PP) anda circulando em novo veículo nos eventos oficiais e “secretos”. Ontem, ele compareceu em Honda Civic prata na reunião com líderes indígenas na Aldeia Urbana Marçal de Souza.

Escoltado – Aliás, o prefeito conquistou os índios. Ontem, durante o evento, os indígenas “escoltaram” Bernal durante a solenidade para afasta-lo da imprensa. Ele vem evitando perguntas de jornalistas sobre as suspeitas lançadas sobre sua administração, como nomeação irregular do procurador-geral do Município e de compras sem licitação com a Salute.

Cabelos – Sem agenda pública nos últimos 15 dias, o prefeito mostrou-se mais carrancudo e com menos cabelos na agenda ontem. A observação revela que, além de tanto trabalho, as denúncias estão dando dor de cabeça ao prefeito.

Calado 2 – Bernal não é o único que vem evitando a imprensa nos últimos dias. O promotor de Defesa do Patrimônio Público, Fabrício Proença de Azambuja, também vem se esquivando de entrevistas sobre as suspeitas lançadas a respeito da nomeação do desembargador Luiz Carlos Santini para o cargo de procurador-geral do Município.

Inútil – A Prefeitura da Capital começou a realizar a manutenção da Cidade do Natal. No entanto, a miniatura de castelo montada nos altos da Avenida Afonso Pena não deverá ser reaproveitada tão cedo, já que o projeto do prefeito é construir a “nova cidade do Natal” no Horto Florestal.

Um milhão – O secretário estadual de Articulação com os Municípios, Nelson Trad Filho (PMDB), não perdeu a oportunidade de cutucar o antecessor. Ele disse que lamenta a proposta de destruir o local. E arrematou que o espaço, inaugurado em 2008, já recebeu mais de um milhão de visitantes. “Lá eram realizadas missas natalinas, brincadeiras para crianças... quem vai perder com a falta de sensibilidade do atual governo é a população”, lamentou no Facebook.

Morreu na praia – O Tribunal de Justiça negou o pedido do PTB para ampliar de 15 para 17 o número de vereadores em Corumbá. O partido seria contemplado com as duas vagas. Os dois suplentes nadaram e, por enquanto, morreram na praia.

Nem fumaça serve – Em tempos de casos de gripe suína e meningite, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) deveria dar mais publicidade às ações para alertar a população. No entanto, se depender da “equipe de comunicação” da pasta, o povo vai ficar a deriva. Não adianta telefone, e-mail ou fumaça. Não há meio de comunicação que consiga o retorno da assessoria responsável pelo setor de saúde pública na cidade.

Vergonha – O município de Ribas do Rio Pardo, localizado entre Campo Grande e São Paulo, surpreendeu meio mundo ao surgir na liderança do Estado no ranking de cidade mais violenta. Até o delegado da cidade ficou espantado, já que fez questão de frisar que o Estado tem a maior fronteira seca com o Paraguai. No entanto, a sua cidade, fica a mais de 423 quilômetros da fronteira, onde fica Coronel Sapucaia, que ficou muitos anos com o título de mais violenta de MS.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário