A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


17/08/2015 06:00

Neto de ex-governador é liderança contra corrupção

Priscilla Peres

Em alta - João Henrique, neto do ex-governador Marcelo Miranda, é a nova liderança a lutar contra a corrupção em MS. Ele criou um espaço em seu Facebook para "incentivar e divulgar os debates lapidando boas ideias", onde postas diversos vídeos encabeçando os protestos contra o governo petista e os recentes casos de corrupção no país.

Exemplo - Em um dos vídeo mais recentes, João Henrique aparece de terno, em cima de um trio elétrico, convidando as pessoas para o protesto de ontem. "O que esse partido (PT) fez nesse governo é demoníaco, porque a sua conta de luz não abaixou. Não devemos mais aceitar isso, vem pra rua", diz ele aos gritos. Seu avô, Marcelo Miranda, foi prefeito de Campo Grande, governador do Estado e em 2012, demitido do cargo que ocupava no Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) por cometer irregularidades.

3º ato - Os protestos contra a presidente Dilma Rousseff (PT) em MS foram marcados pela ausência de políticos e o enfraquecimento do movimento. Só Campo Grande reuniu mais gente, mesmo assim, muito menor que em abril que já havia sido pequeno. Em Dourados o ritmo também foi lento, mas nas outras cidades do Estado, as pessoas nem saíram de casa.

Bem lembrado - Um dos locutores do protesto contra o governo, realizado ontem, fez questão de ressaltar que os professores deveriam ser respeitados e ter melhores salários, tanto aqui como fora do Estado. "Essa classe era mais bem tratada antes, hoje tem muitos casos de desrespeito", disse ele ao defender o povo trabalhador, que parece não ter comparecido ao evento.

Atenção - Durante diversos momentos, os apresentadores do protesto realizado na Capital, pediu calma e paciência aos manifestantes presentes, dizendo que era importante ouvir os discursos e assistir aos videos que passavam em um telão. Isso aconteceu, porque muitos presentes diziam que queriam mais música pra animar a tarde.

Calor - Na hora da foto oficial do evento, a organização pediu para que todos fossem pra frente do palco, já que a maioria preferiu ficar em baixo das poucas árvores que tinham na praça e se esconder do sol. Ao som de samba, não só os manifestantes, como os personagens de Lula e Dilma dançaram. Só os maçons, que mantiveram a seriedade e enfrentaram o forte calor, vestidos de terno e gravata.

Paz - Em um momento do protesto, representantes dos índios e de proprietários rurais de MS, subiram ao palco e disseram que só desejam viver em paz. Emocionada, a coordenadora estadual do Movimento Pátria Livre, Fabricia Salles, disse que só o gesto já faria o ato valer a pena.

Questionamento - O protesto da Capital manteve a linha nacional de ir contra o governo Dilma Rousseff (PT) e os casos de corrupção no âmbito federal. Mas houve quem lembrasse dos recentes casos de repercussão em MS, como a operação Lama Asfáltica, e a falta de manifestação contra exemplos de corrupção regional. A organização disse que é preciso lavar a escada de cima para baixo, se esquivando de cobranças.

Ferrovia - Termina em uma semana, o prazo para que a comissão formada pelo governo do Estado e a Rumo ALL, apresente o projeto de viabilidade econômica da ferrovia em Mato Grosso do Sul. A data, 24 de agosto, foi estipulada por eles mesmos na reunião de junho, e é o limite para anunciar os investimentos necessários na revitalização da ferrovia.

Até o fim - Líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT), acredita que seu partido vai superar as dificuldades políticas enfrentadas atualmente e se fortalecer novamente. Ele ainda afirma que não tem planos de deixar o Partido dos Trabalhadores, como comentado por lideranças regionais. 

(Colaboraram Antonio Marques e Leonardo Rocha)

 

Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...
O entrave no cadastro de pedófilos
Entrave burocrático – Autor do projeto de lei que criou o cadastro de pedófilos em Mato Grosso do Sul, o ex-deputado estadual Carlos Alberto David, d...
Assembleia agora tem 8 "independentes"
Mais uma – Depois de votar com o governo por três anos e meio, a deputada estadual Grazielle Machado(PSD) anunciou que agora será “independente”, ass...


A corrupção não se restringe a este ou aquele partido, mas tem sido utilizada para a manutenção do poder. Ser oposição e criticar a situação é fácil, o PT era mestre nisso.
O que fazem aqueles que assumem o poder em benefício daqueles que os elegeram? Que eles enchem os seu próprios bolsos nós já sabemos. Fortunas são constituídas a partir do desvio de dinheiro público, e o PT não foi diferente do PMDB, PSDB, etc.
Ser incorruptível é uma escolha, uma característica do caráter de cada um, é saber que não irá conseguir dormir a noite se ficar com algo que não é seu, é ter um sentimento constrangedor dentro de si diante da possibilidade de melhorar a sua vida em detrimento da vida de outras pessoas apoderando-se daquilo que não lhe pertence, que pertence a uma coletividade que a merece.
 
jukahballakid em 17/08/2015 08:50:05
O neto do Marcelo Miranda como líder anti corrupção é piada?
Só pode ser!!!!
 
Critico em 17/08/2015 07:54:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions