A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 24 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


10/06/2016 06:00

No dia em que recebe o "mito", Capital veta a "mordaça"

Waldemar Gonçalves

Lei da mordaça – Após votação simbólica que manteve o veto à chamada “lei da mordaça”, o presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha (PSDB), admitiu que a casa de leis falhou durante a primeira votação, ocorrida há quase dois meses em regime de urgência, quando "faltou ouvir os segmentos e promover uma discussão mais ampla sobre o assunto".

Atrás do prejuízo – Agora, finalmente, o debate foi aberto para compor um texto que contemple os dois lados da questão. "Será um novo projeto para sanar essas deficiências, valorizando o trabalho dos professores, mas também garantindo o direito das crianças em receberem informações livre de tendências ou ideologias", complementou Rocha.

Suspense – Após interromper a sessão por mais de meia hora para discutir internamente o polêmico projeto, o presidente da Câmara retornou ao plenário e, em clima de suspense, anunciou a manutenção do veto. A comemoração pelo auditório lotado parecia gol do Brasil em final de Copa do Mundo.

Comemoração – "Só conseguimos porque vocês vieram para cá", disse a vereadora Luiza Ribeiro (PPS) a um dos líderes de movimentos de professores. Já Eduardo Romero (Rede) lembrou que a Câmara Municipal recebeu mais de 35 ofícios de diversos segmentos e que a "lei da mordaça" motivou mais de 100 reuniões pela Capital nos últimos dois meses.

Fla Flu na Câmara – Para o vereador Lívio Leite (PSDB), não ouvir as partes desde o início foi o que motivou a sessão que comparou à final entre Flamengo e Fluminense. "Mas no estádio de futebol é mais tranquilo, agradável", brincou. Segundo o tucano, a solução está em criar uma Ouvidoria eficiente na Educação para evitar abusos como assédio moral de diretores contra professores ou abusos em sala de aula.

Fraquejou – Em visita a Campo Grande, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), chamado de mito por alguns e lunático por outros, não se furtou a falar sobre a “lei da mordaça”. “Talvez o prefeito tenha fraquejado nesta questão, porque nós não queremos direita nem esquerda. Temos que acabar com esse marxismo nas escolas, mostrando regimes políticos onde o povo é o primeiro a sofrer. Eu entendo que o capitalismo e o livre mercado são pais e mães da liberdade”, sentenciou.

Relação familiar – Bolsonaro, diga-se, lembra que tem relação familiar com Mato Grosso do Sul. “Passei por Nioaque, onde servi por livre vontade e conheci bem o povo sul-mato-grossense. O meu primeiro filho nasceu lá”, disse ele.

Delcídio e Chaves – Ainda falando sobre assuntos relativos a Mato Grosso do Sul, Bolsonaro citou o ex-senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS). Disse que ele contribuiu e tem contribuído para que “muita sujeira” fosse tirada de baixo de tapete com o recurso da delação premiada. “O ex-senador contribuiu e o que entrou no lugar dele (Pedro Chaves), que é do PSC, vai contribuir ainda mais, mantendo-se favorável ao impeachment de Dilma”.

Cortando na carne – Anfitrião de Bolsonaro na Capital, o pré-candidato do PSC à Prefeitura de Campo Grande, deputado estadual Carlos Alberto Davi dos Santos, o coronel Davi, afirma que uma das primeiras medidas de seu governo, caso seja eleito, será extinguir os cargos em comissão, ou o apadrinhamento político. Segundo ele, em muitos casos, “é dinheiro escoado pro ralo”.

Proposta igual – Davi reitera a necessidade de investimento em infraestrutura da cidade e cita o malfadado tapa-buraco. Alternativa ao serviço que, segundo ele, custa R$ 5 milhões por mês ao município, seria uma parceria com o Exército para executar o recapeamento das vias. Ideia semelhante tem tentado emplacar o atual prefeito.

(com a redação)

Gaeco tem suspeita de vazamento
Desconfiança – O Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado), responsável pela investigação que aponta envolvimento de policiais militare...
DEM e a disputa entre André e Reinaldo
Já escolhi - Sobre a declaração de Puccinelli que estaria "namorando" o DEM, o deputado Zé Teixeira fez brincadeira para dizer de qual lado da disput...
Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions