A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


23/02/2018 06:00

O espaço preferido dos partidos

Marta Ferreira

Pompa – Pedro Chaves e o PRB recebem convidados às 18h de segunda-feira (26), na sede de campo da Associação Nipo-Brasileira, em Campo Grande, para acompanharem a filiação do senador no partido. Oficialmente, Chaves já vem atuando como parlamentar da legenda.

Circunstância – O local do evento, por sinal, consolida-se como endereço favorito entre políticos do Estado para suas atividades. O próprio Chaves fez um almoço para confraternização de fim de ano no local em dezembro, reunindo integrantes de sua base.

Outros partidos - Anteriormente, PSDB e depois o MDB escolheram a Nipo para sediarem seus encontros regionais. Nesses encontros, foi dado o start dos partidos para o processo eleitoral de 2018.

Avaliando - O deputado Paulo Siufi (MDB) disse que o partido ainda está avaliando o perfil e quem será escolhido para ser candidato a vice do ex-governador André Puccinelli (MDB). Ele lembrou que o peemedebista sempre soube escolher bem seu companheiro de chapa.

Histórico – O parlamentar relembrou o que considera a comprovação das boas escolhas. "Só lembrar que o primeiro vice (Murilo Zauith) foi prefeito de Dourados e a Simone Tebet se tornou senadora".

Da casa - Para Siufi o candidato a vice de Puccinelli precisa seguir o mesmo "pensamento do partido, pois “é bom ter alguém entrosado” para tocar a campanha e eventual gestão estadual. O deputado cogitou que, para cumprir isso, o nome possa vir do próprio partido.

Sugestão - Lídio Lopes disse que está tentando convencer o partido a não modificar o nome de PEN, para Patriotas. Para ele, já existe uma boa identificação come sta sigla e não seria interessante agora fazer esta mudança.

Não deu - A legenda pensou nesta alteração principalmente pela possível vinda do deputado Jair Bolsonaro, que no final sem acordo, seguiu para o PSL.

Em silêncio – O ex-prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (sem partido), evita falar sobre o processo resultante da Operação Pecúnia. Ele é acusado de usar dinheiro de corrupção para compra de imóveis. “Tenho que ficar quietinho”, ressaltou ao fim da primeira de sete audiências na 1ª Vara Criminal de Campo Grande. A orientação seria de seus advogados.

Coffee Break – Para Olarte, o futuro de outra operação do Ministério Público depende do “tribunal concluir julgamento”. Isso porque o arquivamento definitivo da denúncia contra o deputado estadual Paulo Siufi (MDB), sobre eventual recebimento de vantagem para cassar o ex-prefeito Alcides Bernal (PP), depende de um voto no Órgão Especial do Tribunal de Justiça para validar placar pela inexistência de provas do fato. Tal medida pode beneficiar outros envolvidos.

MS é líder de grana para a celulose
Menina dos olhos – Mato Grosso do Sul segue como o estado com mais previsão de investimentos da indústria da celulose. Projeção da Ibá (Indústria Bra...
Os presos da Lama Asfáltica em números
1 mês – Nesta segunda-feira (19), o ex-governador André Puccinelli (MDB), o filho dele André Puccinelli Júnior e o advogado João Paulo Calves complet...
Rotatória da Coca-Cola e a falta de educação
Boca-suja– O diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Trânsito), Janine de Lima Bruno, contou nesta semana que mudanças na confluência ent...
MDB teve divisões sobre Mochi candidato
Opinião – O deputado Eduardo Rocha (MDB) admite que a escolha de Junior Mochi para candidato na legenda não teve consenso desde o início, após a desi...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions