ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 16º

Jogo Aberto

Armados

Por Jogo Aberto | 30/05/2011 06:00

O IML esta em reforma há 10 dias, o que complica ainda mais o trabalho para a liberação de corpos em Campo Grande. Agora, a necropsia tem apenas duas mesas emprestadas para a perícia, hoje feita pelo Serviço de Verificação de Óbitos - da prefeitura.

O SVO, que serve para laudos de morte natural, agora concentra também a necropsia de mortes violentas. Com a reforma, a semana passada chegou a ter cinco corpos em espaço de 9 metros quadrados, a espera de analise.

Mato Grosso do Sul foi um dos 11 estados criticados pela Organização das Nações Unidas por ter escolas públicas nos municípios, que impõem o ensino religioso aos alunos. Relatório da ONU para o direito à cultura foi divulgado como forma de alertar sobre ações que vão contra a intenção de frear ataques preconceituosos e racistas.

Enquanto membros da bancada reclamam do trem-bala, por consumir recursos que poderiam ser destinados, por exemplo, a ampliação de ferrovia para escoamento, o deputado federal Edson Giroto saiu em defesa do projeto a ser executado em São Paulo e Rio de Janeiro.

Na avaliação do sul-mato-grossense, a obra vai trazer mais que desenvolvimento na área do turismo, “vai trazer avanços de tecnologia para engenharia brasileira. Com certeza a construção vai ser um grande desafio e a motivação para concretizar empreendimentos arrojados em todo País”, justificou.

A lei anti-fumo completa um ano em junho, mas até agora ninguém foi multado em Campo Grande. Segundo os responsáveis na prefeitura pela fiscalização, o problema é pegar alguém em flagrante, fumando dentro de recintos fechados.

O deputado federal Reinaldo Azambuja assumiu a tesouraria do PSDB Nacional. O comando do partido no País manteve Sérgio Guerra na presidência. Marisa Serrano deixou a vice.

Por meio de um curto debate no microblog Twitter, o senador Waldemir Moka reagiu sobre críticas feitas por um internauta sobre a morte de um assentado. “Você disse que a morte de agricultores deveria pôr na conta dos ruralistas. Desculpe-me, mas fundamentalismo nunca deu certo”, argumentou o peemedebista. “Amigo, não confunda bandidos devastadores de florestas com agricultores, que são homens e mulheres de mãos calejadas”, complementou.

Já o senador Delcídio do Amaral saiu em defesa da presidente Dilma Roussef. “É impressionante a quantidade de "brasileiros" que torcem pelo insucesso do governo. Deixem a Dilma trabalhar!”, bradou.

Em plena campanha do desarmamento (mais uma tentativa por sinal), a Justiça do Trabalho em Mato Grosso do Sul vai na contra-mão e anuncia a venda de 3 revólveres em leilão. São bens penhorados para cobrir dividas trabalhistas, mas pega mal.