ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 24º

Jogo Aberto

Pivô de escândalo envolvendo pastor apaga transmissão ao vivo

Por Marta Ferreira | 23/10/2020 06:00
Gleicy Motta durante a live de quase duas horas, que acabou sendo deletada do perfil. (Foto: Reprodução de vídeo do Facebook)
Gleicy Motta durante a live de quase duas horas, que acabou sendo deletada do perfil. (Foto: Reprodução de vídeo do Facebook)

Quem viu, viu – Pivô de escândalo na congregação Assembleia de Deus Missões em Campo Grande, a ex-funcionária do departamento de comunicação da igreja Gleicy Motta apareceu ontem à tarde para se manifestar sobre episódio envolvendo o líder religioso Antonio Dionízio. Falou por quase 2 horas ao vivo no Facebook mas quem procurou a postagem depois ficou a ver navios. O vídeo foi deletado do perfil.

Comentários – A live em seus momentos finais teve mais de 300 pessoas assistindo as declarações de Glecy. E comentários de todo o tipo, em sua maioria questionando se ela teve mesmo relacionamento extraconjugal com o pastor Dionízio. Ele é pai do ex-deputado federal Eliseu Dionísio, candidato a vereador, e seu apoio político é disputado literalmente a tapas.

A discórdia - O religioso está sendo alvo de espécie investigação dentro da cúpula da igreja após gravação feita na semana passada, à distância, na qual aparece dando sete tapinhas na bunda da ex-funcionária da Assembleia de Deus Missões, que é jornalista e ex-cantora sertaneja. Na imagem, ele também dá o popular “cheiro no cangote” da mulher.

Referência musical– De questionamento sobre hipocrisia no meio religioso até alusão a canção de Luiz Gonzaga, apareceu "de um tudo" sobre o tema. Em tom de bom humor, houve quem citasse música do “Rei do Baião”, intitulada “Desse Jeito Sim”, ao comentar a afirmação da mulher de que a imagem foi montada e Dionízio estava com a mão em sua cintura e não nas nádegas. A letra começa dizendo “Desse jeito sim, desse outro jeito não, aperta na cintura, mas cuidado com essa mão...”

Feito - A Justiça Eleitoral mandou que os candidatos a prefeito de Campo Grande, Vinicius Siqueira (PSL) e Marcelo Bluma (PV), excluíssem das redes sociais postagens que configuravam “propaganda eleitoral negativa” e “possível calúnia eleitoral” contra Marquinhos Trad (PSD). Missão dada, foi missão cumprida e as publicações saíram da rede social.

Posts deletados – Três das decisões são referentes a vídeo em que Marquinhos aparece reunido com professores.  Uma mulher fala em microfone sobre a necessidade de o prefeito ser reeleito no 1º turno para que a nomeação de concursados saia o mais rápido possível. Tanto Vinícius quanto Bluma insinuam em suas postagens que o chefe do Executivo municipal está tentando trocar o apoio dos servidores por eventual contratação.

Imprensa- O juiz José Henrique Neiva, foi o relator do processo em que o candidato Sérgio Harfouche (Avante) pedia a troca do juiz da avaliação da sua candidatura citou em seu parecer que não foi só Roberto Ferreira Filho, alvo do pedido de suspeição, que criticou o projeto do procurador nos jornais. "Outros profissionais também deram entrevista dizendo serem contra a proposta".

Fora de MS - Enquanto o deputado Onevan de Matos (PSDB), candidato a prefeito de Naviraí, se recupera dos efeitos da covid-19 em São Paulo (SP), um de seus adversários, Luiz Bruno (PSD), teve que ir para Presidente Prudente (SP)

Curado - Contudo, diferente do decano da Assembleia, Luiz Bruno, conhecido como Bruno do Hotel Dois Gaúchos, já retornou para a cidade recuperado da doença, desfilando na carroceria de uma clássica camionete Ford

Como é? - A onda bolsonarista que mexeu com a direita também fez a esquerda adotar nova identidade visual. Após abdicar da candidatura própria para apoiar Marquinhos Trad, o PCdoB agora abriu mão do tradicional vermelho e adotou o verde como cor predominante.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário