A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


04/10/2017 06:00

Prefeitura corre com lei sobre ISS para não perder prazo

Marta Ferreira

Rapidinho - Poucas horas depois de aprovado pela Câmara Municipal, o projeto que vai tributar serviços como o Netflyx e Spotify foi sancionado, ou seja validado, pela Prefeitura de Campo Grande. A validade começa em primeiro de janeiro de 2018.

Tempo - A votação dos vereadores ocorreu próximo das 14 horas de ontem. Três horas depois, a edição extra do Diário Oficial do Município com a sanção à lei estava no ar.


Motivo – A pressa tem uma explicação. A lei complementar que prevê a tributação tem validade de 90 dias, por isso a prefeitura precisava correr para validar a medida.


Não passou - A CCJ da Assembleia Legislativa arquivou o projeto que estabelecia jornada de 40 horas semanais aos agentes de saúde em Mato Grosso do Sul. Pela proposta, 6 horas diárias seriam no campo e 2 horas para planejamento do roteiro e organização de dados.


Motivo - O relator da matéria, Pedro Kemp (PT), justificou que a proposta deveria vir do município e não do Estado. Além disso, segundo ele, a prerrogativa para tratar do assunto é do poder executivo e não do legislativo.


Chateado- O autor do projeto, Paulo Siufi (PMDB), disse que ficou triste com o resultado, porque os deputados nem deixaram a matéria ir a debate no plenário. 'Traz para discussão aqui no plenário e vamos trocar argumentos, mas eles preferiram arquivar na comissão, o que entendo que não é democrático'.


Sugestão - Para dar mais espaço aos debates dos projetos antes de serem votados, Kemp pediu mudança no regimento da Casa. Ele quer o chamado pequeno expediente da Assembleia seja das 9 às 10h e o grande expediente, o espaço para debate, tenha uma hora de duração, das 10h até as 11h.

Luto? - João Grandão (PT) reclamou que a maioria dos grupos quando vai protestar usa camisetas pretas. 'Porque não usam branco também, parece que a cor preta sempre sobre algo negativo'.

“No hospital” – Duas semanas depois de serem retiradas das ruas, as esculturas de capivaras do projeto patrocinado pela Águas Guariroba ainda não têm prazo para voltar a serem expostas. Duas delas foram destruídas por vândalos e estão em fase de restauração.

Duas fases – O processo esculturas é feito em duas etapas. Primeiro, a carcaça foi refeita, trabalho encerrado nesta segunda-feira, e depois elas vão voltar para os artistas plásticos responsáveis pela decoração estilizada.

Senador critica "descaso" com Paraguai
Vizinho desprestigiado – O ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo, e o senador Pedro Chaves (PRB/MS) foram os dois únicos representantes de ...
Campanha tucana atrai 75% dos prefeitos
Apoio – Enquanto o MDB, antigo aliado histórico do PSDB, patinou para fechar sua candidatura do governo do Estado, os tucanos contabilizam adesões. N...
Dois anos após "febre", Uber perde motoristas
Debandada – Quase dois anos depois de chegar a Campo Grande, e depois de muita polêmica, a plataforma de transporte por aplicativo mais conhecida, a ...
Cristhiano Luna é o nosso Lula
Livre - Um dos crimes de maior repercussão em Campo Grande teve novo capítulo na semana passada. O STF concedeu liminar e soltou Cristhiano Luna, ass...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions