ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 17º

Jogo Aberto

Em falta

Por Jogo Aberto | 23/05/2011 06:00

Prestes a vir para Campo Grande, a dupla de Vôlei de Praia, as cariocas Maria Clara e Carolina, vencedoras da primeira etapa, em Santos, dizem que o medo no circuito nacional é a dengue na capital do Mato Grosso do Sul.

Na preparação para a próxima fase, que será em MS, elas disseram que na bagagem, além do protetor solar, a dupla vai colocar repelente de insetos para "evitar um problema inesperado durante a boa fase".

Depois de lerem que Campo Grande já havia sofrido por diversos anos epidemias de dengue, as duas disseram que acharam que o torneio corria o risco de ser cancelado, principalmente porque os jogos serão no Parque das Nações Indígenas, a maior área verdes da cidade.

O ex-prefeito de Corumbá, Ricardo Candia, parece que foi para a prisão em Campinas já sabendo que muito cedo não voltaria para casa. Membro da prefeitura, no momento em que foi preso acusado de participação em fraudes, colocou um livro debaixo do braço, para garantir a leitura na cadeia.

Confiante, ele espera não receber a família enquanto estiver atras da grades. É que as visitas só serão liberadas para os parentes na quinta, mas a prisão vence na quarta.

Vencedores em algumas das categorias de mais um prêmio entregue na sexta pela TV Morena, para as melhores peças publicitárias do ano, levaram o troféu, mas não os entusiasmo na hora dos aplausos.

Propagandas originais, que conseguem inovar até na hora de fazer um material de baixo orçamento perderam o título para peças óbvias. Quem não se convence dos critérios do júri, diz que não tem ânimo nem para reclamar mais.

Representantes dos produtores de cana e do governo do Mato Grosso do Sul procuraram empresas de Sertãozinho (SP) para saber como funciona o polo sucroenergético da região.

A cidade é destaque nacional em desenvolvimento e geração de empregos porque tem atraído empresas de máquinas e equipamentos relacionados ao mercado aberto com as usinas de cana-de-açúcar.

Ao mesmo tempo em que o setor comemora o sucesso pontual, a Unica (União da Indústria de Cana-de-açúcar) lamenta estar bem abaico da meta que era abastecer com etanol 66% da frota de bicombustíveis no País, mas a falta de matéria prima é um entrave com déficit de 143 milhões de toneladas de cana para conseguir atingir o objetivo este ano.