A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 20 de Outubro de 2018

26/07/2018 07:43

Casa que foi morada de Rubens Gil de Camillo por 20 anos vira bar na sexta-feira

Há um mês, casa abre como bar e revela detalhes de um dos arquitetos mais importantes de Mato Grosso do Sul

Thailla Torres
No projeto de Rubens Gil de Camillo, lareira suspensa de concreto aparente é destaque da casa. (Foto: Thailla Torres)No projeto de Rubens Gil de Camillo, lareira suspensa de concreto aparente é destaque da casa. (Foto: Thailla Torres)

Entre o concreto aparente e a escadaria de madeira rústica, está parte da história de quase 40 anos de um dos arquitetos mais importantes de Mato Grosso do Sul. Projeto de Rubens Gil de Camillo, o endereço na rua Manoel Secco Tomé foi por duas décadas a morada da família dele, mas agora virou bar.  Ocupada pelo filho, Carlos Fernando de Camillo, desde que o pai faleceu, há um mês a casa recebe o público com música e gastronomia, mas sem perder a oportunidade de viajar no tempo e nas ideias modernas de um arquiteto que nunca quis ser convencional.

O apelido de Carlos deu nome ao novo negócio: "Tito em Casa", que só funciona às sextas-feiras, das 19h às 01h30. A ideia de abrir o espaço surgiu das festas que Tito sempre fez dentro do imóvel. "Brinco que esse cara engenheiro agrônomo e de roupa social que você está vendo não é o Tito que recebe os convidados na sexta. Ele gosta mesmo é de festa e harmonia dentro de casa, sempre amou", revela o proprietário.

Sala é transformada em bar toda sexta-feira. (Foto: Thailla Torres)Sala é transformada em bar toda sexta-feira. (Foto: Thailla Torres)
Espaço tem iluminação baixa e as características da casa foram mantidas. (Foto: Thailla Torres)Espaço tem iluminação baixa e as características da casa foram mantidas. (Foto: Thailla Torres)
Mezanino dá lugar a espaço mais intimista do novo bar.(Foto: Thailla Torres)Mezanino dá lugar a espaço mais intimista do novo bar.(Foto: Thailla Torres)

Carlos chegou na residência há 12 anos depois que um dos irmãos saiu do imóvel para morar no exterior. A casa ganhou decoração do filho, mas com poucos detalhes para não sobressair a arquitetura de Rubens que projetou um lar com espaços pequenos, mas sem muitas paredes para que o espaço tornasse possível o aconchego entre família e amigos. "Essa casa sempre será um ícone, ele fez quando mudamos de São Paulo para Campo Grande e ficou pronta em 1980", lembra.

Por dentro o concreto se propaga em detalhes, a começar pela sala principal, quando a porta de madeira pesada se abre. Ao lado está a lareira suspensa de puro concreto que é "uma verdadeira obra de arte", descreve o filho. Apesar do tempo, ela nunca perdeu o encanto e, ainda hoje, é atração na casa. "Já fizemos até churrasco e aproveitamos muito no frio", comemora Carlos, ao lado do filho mais novo, Guilherme, de 11 anos.

E do outro lado está a escadaria de madeira suspensa por correntes de ferro, e que dá acesso ao mezanino. É lá em cima que fica um dos ambientes mais intimistas do bar. "É o lugar da casa que acomoda poucas pessoas para que elas se sintam à vontade. A vista também é de frente para a banda que fica bem ali, no hall de entrada".

Casa foi projetada  construída pelo pai de Carlos em 1980. (Foto: Thailla Torres)Casa foi projetada construída pelo pai de Carlos em 1980. (Foto: Thailla Torres)
Entrada da casa e espaço onde fica a banda. (Foto: Thailla Torres)Entrada da casa e espaço onde fica a banda. (Foto: Thailla Torres)
Carlos Fernando de Camillo é o terceiro dos quatro filhos do arquiteto. (Foto: Thailla Torres)Carlos Fernando de Camillo é o terceiro dos quatro filhos do arquiteto. (Foto: Thailla Torres)

A iluminação baixa e amarelada ainda é a mesma, com exceção do jogo de luzes que ilumina um dos pontos da sala na sexta, para deixar o público mais descontraído na pista que conta com bistrôs e o sofá antigo, que ainda faz parte da mobília original deixada pelo Rubens pai. "Fica um ambiente muito gostoso, a turma curte a música, dança, consegue conversar e saborear bons pratos ao mesmo tempo".

O cardápio é elaborado por um chef de cozinha e os pratos chegam prontos à casa. Tem porções de batata frita, pastel, brusqueta, tomate cereja recheado com pesto e pão sírio assado com creme de gorgonzola que vão de R$ 18,00 a R$ 28,00.

Ainda no interior,  o bar com arquitetura original e obra de arte no azulejo é espaço para drinques e bebidas quentes com doses de uísque, vodca, martini, gin e rum. Há também venda de cervejas artesanais e importadas.

Na parte externa, a escada ainda preserva o acesso à churrasqueira e área de lazer com piscina que também recebe mesas e cadeiras para quem quiser curtir a noite ao livre.

Feliz com o novo desafio, Carlos afirma que abrir as portas vai além de um novo negócio. "O desejo é continuar reunindo amigos, pessoas que gostam de música, mas que preferem um espaço mais intimista para se encontrar e compartilhar experiências. Porque aqui é isso, eu não mudei nada na estrutura da casa, a pessoa entra e consegue se sentir muito à vontade". 

Na programação musical, Tito em Casa recebe as bandas Seven Four, V12, Cover Up e Borba e Perez. O couvert por pessoa é R$ 20,00.

A casa fica na rua Manoel Secco Thomé, 405, Jardim dos Estados.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

Carlos vive na residência que era do pai há 12 anos. (Foto: Thailla Torres)Carlos vive na residência que era do pai há 12 anos. (Foto: Thailla Torres)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.