ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  07    CAMPO GRANDE 22º

Arquitetura

Casacor MS chega em setembro com lar completo em "caixa de vidro"

Maior mostra de arquitetura de Mato Grosso do Sul começa em setembro com o tema "A casa original"

Por Thailla Torres | 26/05/2020 06:40
Casarão na Rua Goiás está sendo transformado para receber a Casacor MS 2020. (Foto: Thailla Torres)
Casarão na Rua Goiás está sendo transformado para receber a Casacor MS 2020. (Foto: Thailla Torres)

Com abertura prevista para setembro, a sexta edição da Casacor MS tem como tema ‘A Casa Original’. A intenção é encontrar um equilíbrio entre passado e futuro, buscando uma valorização da própria história e o que compõe cada ambiente.

O endereço escolhido para a mostra foi divulgado no ano passado, é o casarão branco escolhido década 1970, projetado pelo arquiteto campo-grandense Avedis Balabanian, na Rua Goiás.  A casa antiga já está readequada para a obra de arquitetos, paisagistas e fornecedores, e a maioria dos ambientes está com seus respectivos clientes.

O tema até parece coincidência com tudo o que mundo tem vivido diante de uma pandemia, uma vez que muitas pessoas estão voltando às origens, se reconectando com a própria casa. Por isso, o desafio para profissionais é trazer ao público o ambiente perfeito para celebrar o bem viver e debater sobre as necessidades de uma vida melhor.

As responsáveis pela edição sul-mato-grossense acreditam que até a relação do visitante com a casa esse ano vai ser diferente. “Na minha opinião, acho que a gente nunca viveu um momento em que as pessoas estão tão voltadas para suas casas e houve, também, uma mudança de comportamento do consumidor, que tem buscado olhar para a casa e viver experiências. E a Casacor é uma plataforma de marketing de experiência, não só no segmento da arquitetura, já que a mostra propicia outros produtos”, explica a diretora executiva da mostra sul-mato-grossense, Tatiana Ratier.

Com estrutura de 2.200 m², a casa já foi morada de famílias tradicionais na cidade. (Foto: Thailla Torres)
Com estrutura de 2.200 m², a casa já foi morada de famílias tradicionais na cidade. (Foto: Thailla Torres)

Além dos ambientes decorados, com design, dicas de aproveitamento de espaços e ideias de sustentabilidade, a programação sempre envolve workshops, desfiles e lançamentos de produtos de empresas parceiras que também aproveitam a mostra para exibir inovações do mercado.  Em 2020, um dos eventos previstos é o lançamento do desfile de moda MS Fashion Week.

Concebidos a partir do tema ‘A casa original’, o que o público pode esperar este ano da mostra são ambientes com climas afetivos, em projetos que despertam sentimentos, memórias, vontade de reviver histórias.

Tatiana recebendo Eloísa Vicari, profissional que já fez várias edições de Casacor.
Tatiana recebendo Eloísa Vicari, profissional que já fez várias edições de Casacor.

Os profissionais tem liberdade para escolherem os temas de seus ambientes e a história que querem contar através da arquitetura e da decoração. Um desses ambientes é o Quarto do Menino, que promete trazer pela primeira vez o olhar para o universo de crianças autistas. A arquiteta Vanessa Costa estuda como a arquitetura consegue contribuir para deixar a casa mais adequada para essas crianças. Através do uso correto das cores, texturas, iluminação e até temperatura e mobiliário, é possível criar um local mais acolhedor e que interfira diretamente no comportamento da criança, melhorando sua concentração, humor e sono, por exemplo.

Entre os estreantes está um grupo de cinco profissionais que se uniram para fazer a Casa Canyon, que promete chamar a atenção dos visitantes por ser uma caixa de vidro ricamente decorada com móveis de design e elementos naturais e que irá reunir uma moradia completa em cerca de 110 metros quadrados.

Destaque também para a arquiteta Silvia Vieira que fará a Suíte do Casal pensando num espaço compartilhado por dois homens. A profissional tem estilo minimalista, com linhas retas e cores neutras, o que confere ao projeto elegância e praticidade incontestáveis.

Diretora ao lado da arquiteta Juliana Viganó que, junto com mais 4 arquitetos, irá assinar a Casa Cânion.
Diretora ao lado da arquiteta Juliana Viganó que, junto com mais 4 arquitetos, irá assinar a Casa Cânion.

Ambientes funcionais – O visitante também vai encontrar ambientes em que é possível usufruir do espaço e aproveitar para passar momentos agradáveis de contemplação e lazer. É o caso do Café Bar, assinado pela arquiteta Débora Nazareth. Ela preservou a arquitetura em estilo mediterrâneo original do imóvel e criou um ambiente bem iluminado com luz natural e espaços vazados que tiram proveito da varanda com arcos da casa. Com mobiliário adequado, a ideia é promover o relaxamento. Para isso, ela optou por cores claras, linhas orgânicas e texturas variadas nas paredes e móveis em seu projeto.

Outro ambiente funcional é o terraço que irá abrigar eventos mais intimistas promovidos pelas marcas participantes. Assinado pela arquiteta Aline Picetti, de São Gabriel do Oeste, o espaço terá a presença marcante de elementos como água, fogo, terra e ar, distribuídos em materiais criados e desenvolvidos pela própria profissional que também é designer de mobiliário.

Já a brinquedoteca, este ano, terá a assinatura da arquiteta mineira de Belo Horizonte, Ana Luisa Giacomini. Com espaço que se divide em ambiente fechado e outro descoberto, a ideia é fazer dele um grande espaço 'instagramável', onde os pequenos, além de brincarem, poderão ser fotografados pelos pais em diferentes cenários e eternizar o momento dentro da mostra história da família.

E quando se fala tanto em funcionalidade e otimização de espaço, surge entre os projetos o 'Quarto de Vestir', um grande closet com funções que vão além de guardar roupas, sapatos, bolsas e objetos pessoais, abriga, também, espaço de trabalho e lazer.

Veja algumas imagens de edições da Casacor que já usaram a Casa Original de alguma maneira em seus detalhes.

Meu Lugar no Mundo,  projeto de Carlos Otávio Arquitetura: O loft conecta modernidade e regionalismo, ao pensar no que é necessário ao homem contemporâneo e uni-lo a elementos naturais, como a pedra, a madeira, a palha e o metal. O artesanato também aparece como símbolo da história, ao lado das paredes naturais e imperfeições aparentes. (Foto: Esdras Guimarães)
Meu Lugar no Mundo,  projeto de Carlos Otávio Arquitetura: O loft conecta modernidade e regionalismo, ao pensar no que é necessário ao homem contemporâneo e uni-lo a elementos naturais, como a pedra, a madeira, a palha e o metal. O artesanato também aparece como símbolo da história, ao lado das paredes naturais e imperfeições aparentes. (Foto: Esdras Guimarães)
Casa Sumê | Espaço Conectado LG, de Gustavo Neves: Ressignificando o uso de materiais e destacando as tradições, costumes e memórias de povos milenares, o espaço foi feito em construção ecológica Straw Bale, comumente usado em construções naturais, que usa fardos de palha como elemento de vedação, tendo em vista a natureza renovável do material. (Foto: Divulgação/Casacor)
Casa Sumê | Espaço Conectado LG, de Gustavo Neves: Ressignificando o uso de materiais e destacando as tradições, costumes e memórias de povos milenares, o espaço foi feito em construção ecológica Straw Bale, comumente usado em construções naturais, que usa fardos de palha como elemento de vedação, tendo em vista a natureza renovável do material. (Foto: Divulgação/Casacor)
Espaço Brasil de Pau a Pique, de Roberto Migotto:  A área de 300 m² recebeu revestimentos e peças brasileiríssimas, como as paredes de pau a pique. A vedete do espaço é o tapete com estampas de tucanos, que foi produzido no Nepal. (Foto: Divulgação/Casacor)
Espaço Brasil de Pau a Pique, de Roberto Migotto:  A área de 300 m² recebeu revestimentos e peças brasileiríssimas, como as paredes de pau a pique. A vedete do espaço é o tapete com estampas de tucanos, que foi produzido no Nepal. (Foto: Divulgação/Casacor)
Cozinha Leroy Merlin, de Felipe Soares: Os elementos da tradicional cozinha mineira estão todos lá: o fogão à lenha, os armários abertos, o tijolo rústico, as frutas e os legumes à mostra. O layout limpo é o diferencial, com uma ilha central em T, que abriga o fogão à lenha, a cuba e a mesa, com epóxi revestido em resina vermelha. (Foto: Jomar Bragança)
Cozinha Leroy Merlin, de Felipe Soares: Os elementos da tradicional cozinha mineira estão todos lá: o fogão à lenha, os armários abertos, o tijolo rústico, as frutas e os legumes à mostra. O layout limpo é o diferencial, com uma ilha central em T, que abriga o fogão à lenha, a cuba e a mesa, com epóxi revestido em resina vermelha. (Foto: Jomar Bragança)