A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

21/07/2017 06:15

Casal não economiza para recriar boate Valley, onde se conheceu, no casamento

Fãs da casa noturna, Mônica e Gerson quiseram fazer uma homenagem ao local em que se apaixonaram

Eduardo Fregatto
Espaço do salão onde foi recriada a boate de sertanejo. (Fotos: Acervo Pessoal)Espaço do salão onde foi recriada a boate de sertanejo. (Fotos: Acervo Pessoal)

A propagandista Mônica Andrade Araújo, 30 anos, e o advogado Gerson Dussel de Oliveira, 37, resolveram recriar na festa de casamento o lugar onde sua história de amor começou. Na celebração, que aconteceu neste mês, eles praticamente construíram, no salão Yotedy, uma versão reduzida da boate de sertanejo universitário Valley Pub.

Para realizar o sonho, não mediram esforços. A decoração da festa, que teve 300 convidados, ficou em cerca de R$ 50 mil. "Foi uma loucura que valeu cada centavo gasto. Foi caro, mas muito satisfatório. Não existe preço quando todos te elogiam e dizem que sua festa está linda", define Mônica.

Na entrada, teve até anúncio iguais aos da casa noturna.Na entrada, teve até anúncio iguais aos da casa noturna.

Os dois se conheceram em 2013, na balada. Ela era fã assumida de sertanejo e frequentava a Valley Pub, que fica na Afonso Pena. Já Gerson fazia o estilo rockeiro. "Mas todo fim de semana estava lá na casa. Com o tempo, descobri que era pra me ver", relata Mônica.

O primeiro encontro foi na boate e o namoro também teve o local como cenário. "Nunca deixamos de ir ao lugar onde tudo se iniciou".

Quando planejavam a festa de casamento, veio a ideia, do próprio noivo, de recriar a Valley. "Ele queria, além de me agradar, que todas as pessoas soubessem que o início do nosso romance foi lá". Mas muitos decoradores não compraram a ideia. "Não davam atenção ao nosso pedido". Finalmente eles acharam uma profissional, Natasha Sainz, que embarcou na ideia e criou sua versão do trabalho do arquiteto Luis Pedro Scalise, responsável pela decoração da Valley.

Teve até uma lareira falsa.Teve até uma lareira falsa.
O palco, com o logo e nome do lugar.O palco, com o logo e nome do lugar.

O salão de festa foi decorado com os mesmos elementos da casa noturna, com direito a um palco igual ao da boate e com a logo e nome do lugar no fundo. Em outro ambiente, os mesmos tipos de objetos rústicos enfeitam o salão.

Mônica garante que os convidados amaram o resultado final, apesar da ideia parecer extravagante. "Se as pessoas soubessem que iríamos recriar a Valley, falariam que éramos loucos", admite. "Nenhum dos nossos amigos e familiares, com exceção das minhas irmãs e uma cunhada, sabiam da existência da boate. Foi surpresa a todos, mas como esperado, encantou cada pessoa presente na festa", diz.

O restante da decoração não foi temática. (Foto: Studio Vollkopf)O restante da decoração não foi temática. (Foto: Studio Vollkopf)

Conforme o casal, dono ficou sabendo do tema, mesmo sem conhecê-los. "Nós não conhecemos o dono, mas gostaríamos de agradecê-lo por criar uma balada tão legal. Posso dizer que, de uma forma paralela, ele faz parte da nossa história", destaca Mônica.

A cerimônia, ela conta, foi linda, com votos voluntários e muita emoção. Agora, depois de casados, o casal diz que vai continuar frequentando a boate sertaneja. "Sim, pretendemos continuar indo à Valley. Aliás, meu noivo fez uma 'despedida de solteiro' lá", finaliza Mônica, rindo.

Curta o Lado B no Facebook.

Gerson e Mônica fizeram votos voluntários e a emoção tomou conta da cerimônia, segundo a recém-casada. (Foto: Studio Vollkopf)Gerson e Mônica fizeram votos voluntários e a emoção tomou conta da cerimônia, segundo a recém-casada. (Foto: Studio Vollkopf)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.