ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 23º

Arquitetura

Cultura e raízes do Estado inspiram peças expostas em Milão

Coleção Raiz da Trama, assinada pela arquiteta Luciana Teixeira, será exposta na Salone del Mobile, na Itália

Por Jéssica Fernandes | 02/06/2022 13:06
Luminária Dionísio integra coleção da arquiteta Luciana Teixeira. (Foto: Alexis Prapas)
Luminária Dionísio integra coleção da arquiteta Luciana Teixeira. (Foto: Alexis Prapas)

As peças com designs que unem o tradicional ao moderno trazem em cada modelo a tradição e cultura de Mato Grosso do Sul. Utilizando técnicas ancestrais, a coleção Raiz da Trama estará presente no Salone del Mobile Milano 2022 nos dias 6 a 12 de junho, que é considerada a maior de design do mundo.

A arquiteta Luciana Teixeira é a responsável por assinar a coleção que será lançada na sexta-feira (03). O projeto da especialista em design de mobiliário é resultado de uma parceria com a Light Design + Exporlux, por isso, a coleção de luminárias é a primeira coleção 100% sul-mato-grossense.

Composta por cinco categorias, a Raiz da Trama busca transmitir através de elementos gráficos a força de grupos nativos e imigrantes. Para isso, a arquiteta destaca a cultura material e imaterial do Estado, como a selaria pantaneira, trama quilombola, trançado guató e tecelagem paraguaia.

Tocha Pantaneira integra a categoria Selaria Pantaneira. (Foto: Alexis Prapas)
Tocha Pantaneira integra a categoria Selaria Pantaneira. (Foto: Alexis Prapas)

Na categoria Selaria Pantaneira, as peças mesclam recortes, retalhos, trançados e tramas de couro. Nas mãos da arquiteta, o couro ganhou novos tons, texturas e contornos em peças batizadas em homenagem às gírias da cultura pantaneira e pratos típicos. A Tocha Pantaneira, o Pendente Quibebe, Vixe, Vôte e Quebra Torto integram a coleção.

A categoria Trama Étnica conta com as peças Luminária Dionísio, Pendente Urucum, Abajour Quero-quero Grafismo, Pendente Guavira, Teçá, Rama e Cuña. Os itens têm como matéria-prima o cipó, que na coleção, é utilizado para formar luminárias circulares, quadradas e retangulares com estampas coloridas. Além do cipó, a categoria mistura o sisal com algodão.

Apesar da variedade de objetos criados, a arquiteta Luciana fala sobre o item favorito que criou. “A coleção é  grande e trabalha uma ampla gama de materiais e técnicas, mas se tivesse que eleger uma seria a Luminária Dionísio pelo seu caráter inovador em forma, estética e por contar uma história importante, a do imigrante que fundou Furnas de Dionísio”, diz.

Arquiteta Luciana Teixeira com a Luminária Dionísio. (Foto: Alexis Prapas)
Arquiteta Luciana Teixeira com a Luminária Dionísio. (Foto: Alexis Prapas)

Já o Traçado Guató reflete o universo habitado pelos canoeiros do Pantanal, os indígenas nômades que dominaram as águas dos Rio Paraguai e São Lourenço. Prestando homenagem à cultura ancestral desse povo, a designer utilizou a técnica do traçado guató. O resultado pode ser conferido no Pendente Catarina Guató, composto pelos fios de fibra dessa planta.

Com o Pendente Aluá, a Trama Quilombola é a penúltima categoria da coleção. Nela, o bambu é o destaque para criar o objeto que é fácil de ser encontrado em todas as regiões do Brasil. Embora seja uma técnica com versatilidade, o processo de produção segue o mesmo há anos, que é deixar a fibra fina no ponto certo, tingir e tecer os fios até o acabamento.

Para finalizar, o Tear Paraguaio é a última categoria da coleção com a Cadeira Pagu. Nela, existe a fusão de três elementos a cadeira Pantosh (2008) da dupla Lattoog, a cadeira Fantastic Plastic Elastic Chair (1997) de Ron Arad e os galhos de uma árvore. A peça é uma homenagem à escritora, jornalista e militante política Patrícia Gouveia, que é considerada a musa do Movimento Antropofágico de 1922. A Cadeira Pagu tem detalhes de trama étnica em fio de rami que formam a estrutura de madeira natural e o tear manual da faixa paraguaia no encosto e assento.

Cadeira Pagu faz referência à técnica do tear paraguaio. (Foto: Alexis Prapas)
Cadeira Pagu faz referência à técnica do tear paraguaio. (Foto: Alexis Prapas)

Animada para expor em Milão, a arquiteta fala sobre a oportunidade de levar a cultura regional à Itália. "É uma grande alegria e reconhecimento da qualidade do trabalho. Principalmente por vir de uma região do Brasil que não tem nenhuma tradição na cultura de produção de produtos. Utilizar o design para contar histórias da cultura brasileira é minha grande paixão", afirma.

A coleção Raiz da Trama é um projeto apoiado pelo Fundo de Investimentos Culturais de Mato Grosso do Sul. A 60º edição da Salone del Mobile Milano começa na segunda-feira (06). As peças estão disponíveis para aquisição na Light Design+Exporlux, na Rua Euclides da Cunha, 1333, Bairro Jardim dos Estados.

Pendente Urucum da categoria Trama Étnica. (Foto: Alexis Prapas)
Pendente Urucum da categoria Trama Étnica. (Foto: Alexis Prapas)

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
Nos siga no Google Notícias