A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Fevereiro de 2020

27/12/2019 07:43

Inspirado em viagens, Guilherme usou R$ 350 para criar o próprio quarto de hotel

Após assistir alguns vídeos, ele decorou sozinho o próprio quarto que ganhou clima de hotel

Danielle Valentim
Sem nunca ter feito um curso, paixão por viagens e por decoração motivaram Gulherme a caprichar na reforma.  (Foto: Arquivo Pessoal)Sem nunca ter feito um curso, paixão por viagens e por decoração motivaram Gulherme a caprichar na reforma. (Foto: Arquivo Pessoal)

Decidido a começar 2020 com a casa repaginada, Guilherme Meira de Brito, de 35 anos, transformou um dos ambientes. No estilo “faça você mesmo” iniciou a reforma do quarto que ele considera o mais importante da casa. Louco por viagens, decoração e trabalhos manuais, usou a inspiração para montar o próprio quarto de hotel com apenas R$ 350,00 no bolso.

Guilherme é campo-grandense e atualmente vive em Belo Horizonte (MG). Disposto a transformar o clima da casa, ele iniciou a mudança com a venda de alguns móveis. “Pensei comigo, vou começar um ano novo e quero tudo novo. Vendi mesa, armário e quis renovar alguns cômodos da casa. O primeiro lugar foi o quarto, que é um dos lugares da casa mais importantes na minha opinião. É onde você descansa, medita, pensa. É onde você tem um momento para ficar sozinho”, explica Guilherme, sobre a escolha.

 

Antes da intervenção quarto só tinha a cama e um armário no formato de nicho ao lado.  (Foto: Arquivo Pessoal)Antes da intervenção quarto só tinha a cama e um armário no formato de nicho ao lado. (Foto: Arquivo Pessoal)
Reforma ganhou a cabeceira, mais móveis e quadros de viagens feitas e lugares que pretende conhecer. (Foto: Arquivo Pessoal)Reforma ganhou a cabeceira, mais móveis e quadros de viagens feitas e lugares que pretende conhecer. (Foto: Arquivo Pessoal)

Apesar de antenado nas tendências de decoração e apaixonado por  trabalhos manuais, essa foi a primeira vez que ele colocou a mão na massa para uma reforma em casa. Ele diz que assistiu vídeos, mas nada representou o que ele realmente queria.

“Eu sempre gostei muito de decoração, de objetos de decoração, sou muito ligado a trabalhos manuais e amo reorganizar móveis. Essa foi a primeira vez que decidi fazer algo por conta própria. Cheguei a assistir vídeos de como fazer a cabeceira, mas nenhum era como eu queria”, conta.

Depois de passar por quartos de hotéis de 15 países, o sonho de Guilherme era ter a bendita cabeceira estendida e não somente a que vai até o fim do colchão.

“Fiz muitas pesquisas na internet para somar inspirações. Queria algo com tijolinho à vista e cabeceira de fora a fora, como nos hotéis. Gosto muito de viajar e as camas dos hotéis sempre têm a cabeceira estendida. Também gostaria de algo em couro, mas o corino é mais barato e deu o mesmo resultado”, explica Guilherme.

 

Guilherme queria couro na cabeira, mas o corina saiu muito mais em conta. (Foto: Arquivo Pessoal)Guilherme queria couro na cabeira, mas o corina saiu muito mais em conta. (Foto: Arquivo Pessoal)
Espumas deixaram o acabamento perfeito e garantiram o conforto. (Foto: Arquivo Pessoal)Espumas deixaram o acabamento perfeito e garantiram o conforto. (Foto: Arquivo Pessoal)
Cada peça foi montada com muita atenção e detalhes. (Foto: Arquivo Pessoal)Cada peça foi montada com muita atenção e detalhes. (Foto: Arquivo Pessoal)
Pouco antes da parede receber o papel de parede. (Foto: Arquivo Pessoal)Pouco antes da parede receber o papel de parede. (Foto: Arquivo Pessoal)

Com o projeto decidido, Guilherme foi às compra. Em uma madeireira escolheu o MDF cru reaproveitado, que foi cortado em cinco placas de 52 cm por 130 cm. Cada placa custou R$ 45,00 e mais R$ 2,00, pelo corte.

Na loja de estofados, dois metros de espuma custaram R$ 21,00 e 2,5 metros de corino cerca de R$ 35,00. O efeito tijolinho foi finalizado com papel de parede. Os botões e barbante foram comprados em loja de aviamentos.

“Deu trabalho, mas o resultado da cabeceira ficou bem do jeito que eu queria. O maior objetivo era dar uma mudada. Só tinha a cama e um armário que trouxe da última casa”, lembra Guilherme.

Para adaptar as tomadas, Guilherme usou o serra copo na furadeira para fazer o buraco na madeira. “Medi exatamente onde eram as tomadas, passei o fio e como o MDF é fino você consegue encaixar o espelho da tomada"..

A parede com 2,75 metros ganhou vários quadros e todo o trabalho durou dois dias. Os próximos cômodos a serem reformados são o quarto de hóspedes e a sala.

“Para quem deseja ter algo diferente basta ter disposição. Tudo que já vem pronto existe um valor agregado, fica mais caro. Quando a gente faz, financeiramente sai mais barato, mas ver o resultado tem o mesmo valor. Afinal, é seu trabalho, é seu quarto, ninguém tem igual”, finaliza Guilherme.

E você, tem um projeto realizado de forma independente? Mande para o ladob@news.com.br

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

Guilherme gostaria de ter investido na técnica de tijolinho à vista, mas o papel baixou o investimento e deixou lindo. (Foto: Arquivo Pessoal)Guilherme gostaria de ter investido na técnica de tijolinho à vista, mas o papel baixou o investimento e deixou lindo. (Foto: Arquivo Pessoal)
Quadros foram comprados em viagens e alguns representam locais que Gulherme sonha conhecer. (Foto: Arquivo Pessoal)Quadros foram comprados em viagens e alguns representam locais que Gulherme sonha conhecer. (Foto: Arquivo Pessoal)
Campo Grande News - Lista Vip WhatsApp
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2020 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.