ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 30º

Artes

Artista versátil, Esmeralda pinta, borda e cria obras aos 91 anos

A "Artesã de ilusões" já publicou dois livros e diz ter a cabeça cheia de ideias para a arte

Por Jéssica Fernandes | 29/05/2022 07:30
Esmeralda segura peça inspirada nas mulheres que viu na Europa. (Foto: Jéssica Fernandes)
Esmeralda segura peça inspirada nas mulheres que viu na Europa. (Foto: Jéssica Fernandes)

Escritora e artista com uma “cabeça cheia de ideias”, Esmeralda Borges, de 91 anos, é uma talentosa sergipana criada na Bahia que, há cinco décadas, adotou Mato Grosso do Sul como lar permanente. Conhecida como “Artesã de Ilusões”, ela sabe fazer de tudo um pouco, desde bordados a pintura a óleo.

Simpática, a senhora de olhos azuis poderia passar a tarde falando sobre o trabalho e contando histórias de tudo que já fez e viveu. Desde jovem, Esmeralda sempre gostou de inventar, por isso, as obras que cria são carregadas de detalhes, recortes e elementos que os tornam únicos.

Orgulhosa, a artista garante não fazer nada copiado ou fazer a mesma coisa mais de uma vez. "Cópia todo mundo faz", frisa. Embora seja uma costureira de mão cheia, saiba fazer 36 pontos diferentes de bordado, pintura de aquarela e a óleo, Esmeralda gosta de aprender e descobrir novas técnicas.

Colada e feita em camadas, onça-pintada é outra criação dela. (Foto: Jéssica Fernandes)
Colada e feita em camadas, onça-pintada é outra criação dela. (Foto: Jéssica Fernandes)

Recentemente, ela se inscreveu em um curso online de patchwork e em breve começará as aulas. Enquanto estiver viva, a artesã diz que irá continuar exercendo o lado artístico e estudando. Questionada se pretende inventar novas obras, ela brinca. “Não, porque já tem muita coisa na minha cabeça que quero fazer”, ri.

Em casa, ela guarda algumas das artes que foram expostas na 1ª edição do Expo Maturidade Show, que aconteceu no começo do mês. Ela comenta sobre a ocasião especial.

“Eu mostrei aos 91 anos como é o meu trabalho, é só querer, não ter preguiça e não se acomodar", diz

Obra "Pudor" foi feita com técnica de ponto cheio. (Foto: Jéssica Fernandes)
Obra "Pudor" foi feita com técnica de ponto cheio. (Foto: Jéssica Fernandes)

Apaixonada pela natureza, ela traz para as telas folhas, animais e cores. Os materiais aplicados são diversos, por isso, as telas são uma mistura de tecidos, camadas, recortes e estilos de bordado e costura. Um dos destaques é o quadro com uma onça-pintada pendurada num tronco de árvore, que nele tem as folhas que Esmeralda ama fazer.

Em outra parede da casa, está exposta a obra com quatro ararinhas-azuis recortadas e rodeadas de folhas coloridas nos tons amarelo, verde, marrom e outros tons terrosos. Executada em ponto cheio, a obra intitulada "Pudor" é mais uma amostra da versatilidade e criatividade de Esmeralda.

Atualmente, a artesã está criando uma coleção inspirada nas mulheres que conheceu quando esteve em Portugal no ano de 1997. Ao todo, são 12 musas negras, porém só sete estão finalizadas. Com turbantes em diferentes designs, roupas coloridas e rostos pintados num azul brilhante, Esmeralda retratou a beleza que há 25 anos a deixou encantada. "Só esse que consegui passar minha ideia", explica.

Esmeralda ri ao contar as histórias de vida. (Foto: Jéssica Fernandes)
Esmeralda ri ao contar as histórias de vida. (Foto: Jéssica Fernandes)

Essas e outras criações estão à venda, assim como as peças de jogo americano que Esmeralda borda. Apesar de terem valor, a escritora diz que cria as coisas porque gosta muito. "Dinheiro não é tudo, não faço só para vender, a minha vontade é criar e eu tenho muitas ideias para esse ano", revela.

Esmeralda diz não se considerar talentosa e sim uma pessoa idealista. A última virtude esclarece a razão dela ser conhecida como artesã de ilusões.

"Na minha idade eu acho que sou jovem, eu me iludo, fico sonhando muito. Eu sou uma sonhadora", reforça.

Musa azul com turbante faz parte de coleção em fase de criação. (Foto: Jéssica Fernandes)
Musa azul com turbante faz parte de coleção em fase de criação. (Foto: Jéssica Fernandes)

Morando em Campo Grande há cinco anos, Esmeralda se considera douradense de coração, pois passou metade da vida em Dourados. Desde aquele tempo, ela criava as peças que deixavam as pessoas encantadas e estava envolvida no universo literário. Autora de "Desabafo" e "Um abraço no tempo", a escrita é mais um dos alicerces da vida de Esmeralda.

O último livro ela levou dez anos para finalizar e colocar tudo que tinha no coração para o papel. A obra de vertente poética traz três personagens que contém a essência da autora. "É um pouco de mim e um pouco fantasia. É o dialógo de uma velha senhora conversando com a criança inocente e a garota sonhadora. É a minha vida", resume.

Acreditando que a imaginação não tem idade, a frase da própria Esmeralda destaca o motivo dela ser como é. "A imaginação não tem idade, é o imã que nos leva a outra dimensão. Criar é alimento para a alma. Entre linhas e letras deixo a vida me levar".

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News


Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias