A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019

09/06/2019 07:55

Calendário permanente vira peça decorativa com 31 produções artísticas

Obra traz criações das artistas plásticas Antônia Hanemann e Lúcia Monte Serrat

Danielle Valentim
Lúcia foi convidada a participar do projeto Calendário Permanente. (Foto: Paulo Francis)Lúcia foi convidada a participar do projeto Calendário Permanente. (Foto: Paulo Francis)

Esquece essa coisa de jogar calendário fora todo fim de ano. Agora você poder usar um anuário por quantos anos preferir e ainda decorar a casa ou escritório. As artistas plásticas Antônia Hanemann e Lúcia Monte Serrat uniram a famosa folhinha à arte e além de informar o dia, disponibilizam 31 criações artísticas.

Para ficar mais fácil de entender, o produtor cultural do projeto Carlos Diehl explica como funciona. O trabalho foi dividido em 31 páginas. Antônia ficou com as numerações impares e Lúcia com as pares. Apesar de ser um calendário, o próprio nome “permanente” diz tudo: “Pode ser usado qualquer mês ou ano. É uma peça decorativa, barata e com valor artístico”, frisa.

Nesta quinta-feira (6), as artistas participaram de uma noite de autógrafos e estavam radiantes com o resultado do Calendário Permamente.

A ideia da artista plástica Antônia Hanemann surgiu há cinco anos. (Foto: Paulo Francis)A ideia da artista plástica Antônia Hanemann surgiu há cinco anos. (Foto: Paulo Francis)
Produção artística de Antônia. (Foto: Paulo Francis)Produção artística de Antônia. (Foto: Paulo Francis)

A ideia da artista plástica Antonia Hanemann surgiu há cinco anos, mas demorou algum tempo até que o marido abraçasse o projeto. “Carlos não acreditava muito na ideia e eu como sou artista plástica não entendo de projeto. Precisava muito dele. Conversando com a Lúcia vi que poderia dar certo, pois ela sempre acreditou e começamos a fazer juntas. Mas quando finalizamos e foi feita a diagramação, o Carlos começou ver com outros olhos. Como diz o ditado: Em casa de ferreiro o espeto é de pau”, lembra Antônia.

Em princípio, o projeto ficaria guardado até dinheiro suficiente para as impressões. Mas durante uma visita à Pinacoteca, em São Paulo, Carlos Diehl decidiu buscar investimentos. “Eu conheci um material sobre o calendário Pireli. O trabalho revolucionou a forma como a fotografia é encarada no Brasil. Comecei a trabalhar nisso e me baseei neste trabalho para lançar o projeto pelo Fmic. Decidimos fazer essa abordagem de um calendário que pudesse ser uma peça de arte e objetivo foi criar um material para embelezar a sala, a cozinha, o quarto”, disse.

“A arte nos faz viver e colocar a arte em um espaço que as pessoas possam ter acesso é muito gratificante. O Calendário Permanente proporciona as pessoas ter uma obra de arte barata e de qualidade e isso nos dá um prazer imenso”, disse Lúcia.

O calendário também é opção para presente. Cada página leva um pequeno poema, a maior parte assinado pela poetiza Laura Monte Serrat. O calendário custa R$ 35 e pode ser adquirido na livraria Le Paroli ou pelo site calendáriopermanente.com.br .

Curta o Lado B no Facebook e Instagram

Produção artística de Lúcia. (Foto: Paulo Francis)Produção artística de Lúcia. (Foto: Paulo Francis)
Artistas e noite de vendas e autógrafos. (Foto: Paulo Francis)Artistas e noite de vendas e autógrafos. (Foto: Paulo Francis)
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.