ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 28º

Artes

Giovanna Antonelli usa poesia de MS para fazer alerta sobre o Pantanal

Escritor de Anastácio foi surpreendido com ligação da atriz, que pediu autorização para declamar sua poesia

Por Thailla Torres | 17/09/2020 06:50

Na esteira de atores que usam as redes sociais para falar sobre os incêndios no Pantanal, a atriz Giovanna Antonelli declamou uma poesia sul-mato-grossense na semana passada para alertar sobre o que acontece com o bioma.

O texto é de autoria do poeta Valdemir Gomes dos Santos, que mora em Anastácio, e foi surpreendido com uma ligação da assessoria da atriz para autorização de uso do poema.

Receoso de atender uma ligação de outro estado, Valdemir conta que só atendeu a assessoria da famosa depois que ela entrou em contato com jornal de Aquidauana, O Pantaneiro, onde sua poesia foi publicada no ano passado.

“Só então eu atendi a ligação da assessora. Na hora eu autorizei, mas ela quis formalizar tudo por e-mail e assim fiz. Ela [assessora] disse que Giovanna estava muito estarrecida com tudo o que está ocorrendo no Pantanal”, conta Valdemir.

A atriz tem recitado poesias e textos de diversos autores em seu Instagram. Dessa vez, usando imagens da situação do Pantanal, ela escolheu a poesia de Valdemir para chamar a atenção dos seguidores.

“Eu fiquei lisonjeado, mas não envaidecido. Cheguei numa idade que não preciso mais dessas vaidades, mas fiquei feliz, por saber que um texto meu pode causar reflexão fora daqui”, diz.

Formado em letras, Valdemir tem 61 anos e trabalha como agende saúde, mas escreve poemas desde 1973 sobre o Pantanal e diversas experiências de vida. Ele diz que acorda todos os dias às 4h da manhã para se dedicar à escrita. “Já escrevi mais de mil poemas, é uma alegria na vida poder escrever”, finaliza.

Confira o poema de Valdemir:

O habitat do “Poeta” está sendo devastado.
Está virando deserto onde antes... Alagado!
Os animais rastejam para não ser... Esteirado.
As matas... Grandes serpentes, depois viram granulado.

O paraíso natural está virando deserto.
A mata... Fornos, fumaça ofusca o amanhecer.
As vazantes evaporam, água é... Vegetação.
Manadas de animais sedentos... Em procissão.

A beleza pantaneira existe... Em cartão!
A vida do paraíso... Em grande transformação.
A planície é fornos, montanha; corixo é... Areão.

Animais morrem de sede em meio à imensidão
Pantanal está deserto... Sem fauna e vegetação.
Vida é... Fileira em leira, madeira, fornos, carvão.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário