ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 16º

Artes

Na pandemia, músico resgata a infância com tirinhas divertidas

Em tempos de caos, o gato Matias e sua dona Lúcia surgiram para animar o isolamento com historinhas curtas e inusitadas

Por Alana Portela | 03/07/2020 06:34
O Lado B ganhou uma tirinha exclusiva de Matias e Lúcias, feita por Bruno Girelli. (Foto: Bruno Girelli)
O Lado B ganhou uma tirinha exclusiva de Matias e Lúcias, feita por Bruno Girelli. (Foto: Bruno Girelli)

A pandemia do coronavírus e o isolamento chegaram paralisando planos. O vírus se alastrou, deixando um clima de tensão que travou a mente de Bruno Girelli para composições de músicas. No entanto, também o fez resgatar um pouquinho da infância e criar as tirinhas de Matias e Lúcia.

“Eu recortava as tirinhas dos jornais quando era criança e guardava pra poder ler sempre que quisesse”, lembra Bruno. Aos 38 anos, ele é formado em Gastronomia, atua prestando consultoria na área, também trabalha com produção de mídia e é músico.

“Tenho duas bandas autorais, ‘Astronauta Elvis’ e ‘A Última Banda Antes do Fim do Mundo’, nome sugestivo, tem mais de três anos, não é por causa dos tempos atuais. Ambas paradas por conta do coronavírus. Ficar sem tocar me deu uma travada na hora de compor e encontrei nas tiras um meio de jogar pra fora as criações. A proposta das tiras é divertir e trazer um pouco de humor para tempos tão sombrios que estamos vivendo”, destaca.

O artista, Bruno Girelli segurando seu gato A-Tê, de 7 anos. (Foto; Arquivo pessoal)
O artista, Bruno Girelli segurando seu gato A-Tê, de 7 anos. (Foto; Arquivo pessoal)

Durante um bate-papo com o Lado B, Bruno fala sobre a criação de Matias, um gatinho esperto, manhoso e astuto e da sua dona Lúcia, uma fotojornalista. “Ele tem uma personalidade que é só dele. Já Lúcia é uma garota que está naquela fase da vida em que você não é mais adolescente, mas ainda não aceitou bem o fato de ter entrado na vida adulta”, explica.

Bruno relata que as tirinhas sempre fizeram parte de sua vida. “Desde Turma da Mônica que me ensinou a ler e até hoje, com vários ilustradores independentes que sigo. Sou fã de Calvin e Haroldo do Bill Watterson, Snoopy do Charles Schulz, Mafalda do Quino, Mulheres Alteradas da Maitena, Geraldão do Glauco, Bob Cuspe do Angeli, Henrietta do Liniers, para citar alguns artistas mais conhecidos”.

Primeira edição das tirinhas tem Matias falando sobre positividade para Lúcia. (Foto: Bruno Girelli)
Primeira edição das tirinhas tem Matias falando sobre positividade para Lúcia. (Foto: Bruno Girelli)

Apesar da admiração pelos artistas, sua inspiração maior vem da cartunista Laerte Coutinho. "Cresci lendo Os Gatos, Hugo, Striptiras. O tipo de humor dela sempre me inspirou e inspira agora com Matias e Lúcia”, conta.

A criação das tirinhas é uma proposta antiga, que não saia do papel por conta dos afazeres profissionais. “A ideia sempre estive martelando na minha cabeça. Tenho um casal de gatos e cada um tem suas peculiaridades, senso de humor, costumes, jeitos de se comunicarem”.

Matias comentando sobre pandemia do coronavírus. (Foto: Bruno Girelli)
Matias comentando sobre pandemia do coronavírus. (Foto: Bruno Girelli)

No entanto, foi quando o isolamento social iniciou, que Bruno viu a oportunidade de resgatar um pouquinho da infância e finalmente realizar o projeto. “Quando tudo parou, comecei a rabiscar os esboços e a primeira tirinha. A ideia veio de eu falando comigo mesmo sobre tentar ser um pouco mais otimista com as coisas”. A primeira edição saiu no dia 9 deste mês.

Aos poucos, Bruno foi construindo as características dos personagens. “Levei dias pra descobrir qual era a profissão da Lúcia. O nome da melhor amiga dela veio de várias vezes que o nome apareceu na minha vida pessoal. Qualquer coisa que decidir hoje sobre os personagens vai ter um propósito lá na frente, então, tem que ser muito bem pensado”, explica.

Para a criação, o autor aproveita algumas experiências pessoais. “Quando acontece algo na minha vida pessoal, penso: Como Matias lidaria com isso? O que a Lúcia faria? Se render um sorriso, transformo em tirinha”.

Lúcia e Matias tentando cancelar os cartões. (Foto: Bruno Girelli)
Lúcia e Matias tentando cancelar os cartões. (Foto: Bruno Girelli)

Os trabalhos estão sendo publicados no perfil do Instagram de Bruno e chamando atenção dos seguidores. “Fico muito feliz quando rola alguma identificação e alguém responde ‘ah, meu gato faz isso’, ou se identificam com a Lúcia”, comenta. O artista ainda criou o site “porgirelli”, onde também compartilha as tirinhas, mas o sonho mesmo é publicar as historinhas em jornais impressos para fazerem parte da infância e da vida de outras pessoas.

“Os planos para as tirinhas ainda é virar um livro, juntando todas as tiras publicadas e uma leva de tiras inéditas que estou produzindo chamadas ‘Matias antes de Lúcia...’ e ‘Lúcia antes de Matias...’. Vou contar a história de como eles se conheceram no livro”.

A gatinha Maruja à esquerda ao lado do gato A-tê. (Foto: Bruno Girelli)
A gatinha Maruja à esquerda ao lado do gato A-tê. (Foto: Bruno Girelli)

Enquanto isso, Bruno torce para que as coisas voltem ao normal e que o vírus seja controlado. “Espero que a vida volte ao normal logo, pois o plano é de lançar o livro na Parada Nerd, evento daqui de Campo Grande. Provavelmente, tentarei viabilizar o livro por alguma plataforma de vaquinha on-line”, finaliza.

As tirinhas estão sendo publicadas através do @porgirelli e pelo site porgirelli.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Matias refletindo sobre a melhor amiga da dona, a Sandra. (Foto: Bruno Girelli)
Matias refletindo sobre a melhor amiga da dona, a Sandra. (Foto: Bruno Girelli)