ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  02    CAMPO GRANDE 15º

Artes

No dia da mulher paraguaia, homenagem veio de documentário sobre fé

Lançado hoje, filme retrata histórias de quem se prometeu à Nossa Senhora do Caacupé e ainda faz questão de cumprir à risca; veja

Por Raul Delvizio | 24/02/2021 12:37
A documentarista Mara junto das promesseiras (Foto: Arquivo Pessoal)
A documentarista Mara junto das promesseiras (Foto: Arquivo Pessoal)

Esta quarta-feira (24) é o dia em que se comemora a vida, força e luta das mulheres paraguaias. Para homenageá-las, algumas tiveram suas histórias de fé contadas em um documentário lançado na manhã de hoje no Teatro de Arena Astério da Conceição, que fica às margens do Rio Paraguai, na cidade de Porto Murtinho, 363 quilômetros de Campo Grande.

A data é especial no município por ser fronteiriço ao país vizinho. O dia é celebrado pela cultura paraguaia pois foi quando aconteceu a primeira assembleia feminina na capital Assunção. O ano era 1867. Naquela ocasião na Praça de Maio, participaram mulheres de quase todas as regiões do país onde, entre ricas e pobres, decidiram mostrar sua contribuição ao país que enfrentava os primórdios do que viria a ser a Guerra do Paraguai.

No evento, promesseiras mostraram ginga na dança e tradição centenária (Foto: Arquivo Pessoal)
No evento, promesseiras mostraram ginga na dança e tradição centenária (Foto: Arquivo Pessoal)
Na ocasião do lançamento, houve também um café da manhã (Foto: Arquivo Pessoal)
Na ocasião do lançamento, houve também um café da manhã (Foto: Arquivo Pessoal)

Passados mais de 150 anos, agora o documentário “Las Promesseras” é uma homenagem às figuras femininas que, no município murtinhense, mantêm a chama acesa da religião – o maior suporte cultural local. Se tratando de um ato de fé, as promesseiras são aquelas que fizeram promessa à Nossa Senhora do Caacupé, padroeira do país vizinho.

“A cultura popular é responsável pela preservação ritualística da memória cultural. Um povo sem cultura não tem tradição e um povo sem tradição não tem história. Temos que conhecer nossa ancestralidade por meio da cultura popular produzida e eternizada pelo povo”, explica Mara Silvestre, diretora e roteirista do documentário.

Confira:

“Foram 2 anos seguidos conhecendo histórias marcadas pela fé e também acompanhando as festividades de Murtinho. Pretendo ainda fazer outros dois curta-metragens sobre todos esses aspectos e detalhes culturais do município. É de uma riqueza cultural tamanha”, considera.

No horário do almoço, às 11h30, o documentário também teve lançamento no lado paraguaio da fronteira, no mercado municipal de Carmelo Peralta. O vídeo na íntegra já está disponível no YouTube para ser assistido.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário