ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 22º

Artes

Para ficar no País, polonês tem que fazer fiscal da imigração chorar em 10 min

Peça terá reapresentações nos dias 14, 15, 20, 21 e 22 de março, sempre às 20 horas, no Marco

Por Paula Maciulevicius Brasil | 12/03/2020 09:47
Funcionário e imigrante em cena. (Foto: Helton Perez)
Funcionário e imigrante em cena. (Foto: Helton Perez)

A estreia é amanhã, mas o nervosismo já acompanha quem dirige e atua no espetáculo “Novas Diretrizes em Tempos de Paz”. Diretor, ator, professor, doutorando, Fernandes F. é inspiração dentro e fora dos palcos e, ao lado de uma equipe maravilhosa, espera o público no palco do Marco (Museu de Arte Contemporânea) a partir desta sexta-feira (13), às 20h.

"A expectativa é o nervosismo habitual que faz a gente se perguntar porque se mete nisso, mas também estou apaixonado pela oportunidade de contar uma história tão importante", diz o diretor. 

"Novas Diretrizes em Tempos de Paz" é uma fábula de época que homenageia os imigrantes que colaboraram com a formação da cultura brasileira após a Segunda Guerra Mundial retratando a vida de Clausewitz, um polonês disposto a esquecer o horror nazista vivido em sua terra natal, que chega ao Brasil. Decidido a trabalhar como agricultor, é barrado na alfândega por um funcionário da imigração, e depende da aprovação dele para permanecer no Brasil. 

Apesar de desconfiar do estrangeiro, que chega ao país somente com a roupa do corpo, falando português e sem nenhuma marca nas mãos típica de agricultor, o funcionário propõe um trato: se Clausewitz o fizer chorar em 10 minutos com sua história, fica. Se não, volta. Dá-se então um embate entre dois homens, que irmanados em suas derrotas pessoais, vão em busca da emoção, que poderá ou não devolvê-los a humanidade.

"Novas Diretrizes em Tempos de Paz, tem texto de Bosco Brasil com montagem premiada em São Paulo e transformado em filme com grande sucesso nacional. É mais uma produção do projeto Arrebol Cultural UEMS, que está em atividade há mais de 10 anos e tem em seu currículo diversas montagens teatrais, todas com grande sucesso de público e critica como as últimas "De pai para filhos" (2018), "Lisbela e o prisioneiro " e "Cordel do amor sem fim" (2019)”, explica o diretor Fernandes.

A peça tem a cenografia assinada por Leila Alli, Isabela Falcão e Samir Henrique e na sonoplastia, Nathália Fernanda. O espetáculo é promovido pelo projeto Arrebol Cultural da UEMS e terá reapresentações nos dias 14, 15, 20, 21 e 22 de março, sempre às 20 horas. A classificação é 12 anos e tem duração aproximada de 60 minutos.

Os ingressos custam na hora R$ 50,00 (inteira) e R$ 25,00 (meia), válidos para estudantes, professores, doadores de sangue e idosos (acima de 60 anos), com a apresentação do respectivo comprovante, ou podem ser adquiridos antecipadamente com meia-entrada para todos na Livraria Leitura no Shopping Campo Grande.

O Marco fica na Rua Antônio Maria Coelho, nº 6000, no Parque das Nações Indígenas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário