ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 28º

Artes

Um dos mais queridos da TV brasileira, Jô Soares morre aos 84 anos

Morte foi confirmada pela esposa e assessoria do escritor na madrugada desta sexta-feira (05)

Por Ana Oshiro | 05/08/2022 05:56
Foto de Jô Soares publicada pela esposa, Flávia Pedras, em anúncio de falecimento (Foto: Redes Sociais)
Foto de Jô Soares publicada pela esposa, Flávia Pedras, em anúncio de falecimento (Foto: Redes Sociais)

Aos 84 anos, Jô Soares faleceu na madrugada desta sexta-feira (5) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 28 de julho. A informação foi divulgada pela esposa de Jô, Flávia Pedras Soares, que publicou um texto emocionante nas redes sociais às 3h.

A causa da morte não foi divulgada até o momento, o velório e sepultamento serão reservados aos amigos e familiares, segundo a assessoria de Jô. Apresentador de televisão, escritor, humorista, ator e diretor, Jô Soares divertiu os brasileiros ao longo dos 60 anos de carreira, com personagens, bordões e entrevistas marcantes na televisão.

"Obrigada pelas risadas de dar asma, por nossas casas do meu jeito, pelas viagens aos lugares mais chiques e mais mequetrefes, pela quantidade de filmes, que você achava uma sorte eu não lembrar pra ver de novo, e pela quantidade indecente de sorvete que a gente tomou assistindo. Obrigada para sempre, pelas alegrias e também pelos sofrimentos que nos causamos. Até esses nos fizeram mais e melhores Amor eterno, sua, Bitika", escreveu Flávia Pedras.

Pedro Silva ao lado de Jô Soares. (Foto: Arquivo Pessoal/Pedro Silva)
Pedro Silva ao lado de Jô Soares. (Foto: Arquivo Pessoal/Pedro Silva)

A última vez que Jô Soares se apresentou em Campo Grande foi em 1995 e lotou o Palácio Popular da Cultura.  Quem trouxe o artista foi o produtor Pedro Silva, que lembra da humildade de Jô. "Uma pessoa muito querida, profissional e que não fazia exigências absurdas", conta.

O produtor também lembra de uma surpresa ao negociar com Jô Soares. "Ele não fazia contrato. Em anos trazendo espetáculos a Campo Grande eu nunca tinha visto isso. O contato era feito por telefone e o compromisso estava feito. Ele também não aceitava receber adiantado, o pagamento era feito no hotel, antes da apresentação".

Jô esteve em Campo Grande por três vezes, a primeira em 1986 e as outras duas entre 1990 e 1995. Ele se apresentou no Rádio Clube, Clube Libanês e Palácio Popular da Cultura. Todos ficaram lotados, com ingressos esgotados um mês antes da apresentação.

Palácio Popular da Cultura lotado, em apresentação do artista em Campo Grande, na década de 90. (Foto: Arquivo Pessoal/Pedro Silva)
Palácio Popular da Cultura lotado, em apresentação do artista em Campo Grande, na década de 90. (Foto: Arquivo Pessoal/Pedro Silva)

Filho do empresário paraibano Orlando Heitor Soares e de Mercedes Leal Soares, José Eugênio Soares nasceu em 16 de janeiro de 1938 no Rio de Janeiro. Aos 12 anos, mudou-se com a família. Seu primeiro papel foi em “O Homem do Sputnik”, filme de Carlos manga de 1958.

Nas redes sociais, amigos e fãs lamentaram sua morte. “O Brasil perdeu hoje um artista único, um comediante que amava seu ofício acima de tudo, um ator fora de série. Um entrevistador brilhante. Um cidadão que amava seu país e seus amigos. Jô Soares, obrigada por tanto!”, escreveu Zélia Duncan.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).


Nos siga no Google Notícias