ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUARTA  08    CAMPO GRANDE 20º

Artes

Veja lista de espetáculos selecionados para projeto “Campo Grande em Cena”

Ao todo, 7 espetáculos de grupos de MS compõem a programação

Por Thailla Torres | 19/10/2021 17:15
Crema, do Grupo Casa, é um dos selecionados. (Foto: Laila Pulchério)
Crema, do Grupo Casa, é um dos selecionados. (Foto: Laila Pulchério)

Com apresentações nos dias 3 e 13 de novembro, o projeto “Campo Grande em Cena” divulgou a lista dos espetáculos sul-mato-grossenses selecionados para levar arte ao público.

Foram considerados trabalhos cênicos em processo, peças curtas e/ou espetáculos com duração igual ou superior a 60 minutos. As apresentações serão realizadas em espaços fechados, alternativos ou em locais abertos.

Os espetáculos vão receber cachê de até R$ 4 mil (dependendo da categoria), além de transporte, alimentação e hospedagem para quem não residir na Capital.

Além das apresentações selecionadas, o projeto contará com uma temporada do espetáculo "Todo redemoinho começa com um Sopro", dirigido por Nill Amaral da Cia. Ofit. Haverá também, duas oficinas para atores iniciantes e profissionais com os artistas Marcelo Henrique Flecha (MA) e Patrícia Saravy (PR).

Confira abaixo os espetáculos selecionados:

1 – Cães – Núcleo Teatral Isadora (Dourados)

Sinopse: Quando Cristóvão Colombo chegou ao Novo Mundo, escreveu, maravilhado, a seus financiadores – os Reis da Espanha – que aquele lugar deveria ser o Paraíso na Terra. Árvores majestosas, frutos saborosos, fontes de água límpida e habitado por uma gente nua e inocente. Colombo pede aos reis que “não permitam que aqui venha ou ponha pé nenhum estrangeiro - salvo católicos cristãos.” Ironias à parte, da beleza da arara restou o nome do execrável pau-de-arara, e a gente inocente assumiu a função dos cães que guardam o que ainda é possível extrair deste Paraíso Perdido.

2 - A Cartista – Cia. Sou o que Sou (Aparecida do Taboado)

Sinopse: Um monólogo envolvente no qual a protagonista transborda sua essência, tornando-se uma fascinante narradora de sua história e sedenta espectadora de seus anseios. No decorrer do enredo, a personagem entrega-se ao ápice das principais emoções humanas levando o público à catarse. A Cartista é repleta de eventos fascinantes, que marcam o público e promovem o encanto pela arte e pelo mais profundo do universo humano. O enredo é atravessado pela espera de um grande amor que se foi, o que leva a protagonista a escrever cartas, refletindo sobre suas dores, anseios, e mergulhada em suas lembranças.

3 – As Miragens do Asfalto – Teatro Imaginário Maracangalha (Campo Grande)

Sinopse: O Teatro Imaginário Maracangalha apresenta As miragens do asfalto. Projeto de pesquisa etnográfica e montagem de cenas curtas, itinerantes e performativas com base na documentação histórica e memória oral da comunidade de trabalhadores da antiga estrada de ferro Noroeste do Brasil.

4 - O Grande Salto – Cia Theastai (Dourados) 

Sinopse: O Grande Salto, de João Rocha, traz para o picadeiro um trabalho que mescla a arte do palhaço com a técnica de trampolim acrobático de uma forma irreverente, juntando a inovação com a tradição dos circos. Entre o riso e a tensão, faz o público delirar de alegria.

5 – Gritaram-me Bugra – Grupo de Teatro Liberdade PKR – Pa’iKuaraRendy (Aldeia Amambai)

Sinopse: Gritaram-me bugra traz em cena uma indígena que conta o seu sentimento de ser uma nativa e como o preconceito e a discriminação afetam a sua vida.Um misto de tristeza e orgulho de ser chamada de bugra, que remete à cultura indígena do país como um ser inferior e que muitas vezes soa como ofensa. Ela expõe a questão do feminicídio e reflete sobre sentir orgulho de ser quem ela é, valorizando as cores e ritos de sua cultura por meio dos instrumentos Guarani Kaiowá e os cantos. O trabalho é uma realização do Grupo de Teatro Liberdade PKR – Pa’iKuaraRendyrupo, formado por indígenas Guarani Kaiowáda região do município de Amambai.

6 - O Fruto – João Dias (Dourados)

Sinopse: Espetáculo solo de dança drama de João Dias. Um trabalho sensível, cheio de memórias afetivas, no qual o corpo do intérprete-criador percorre seus laços afetivos mais profundos, suas lembranças do passado, sua existência presente e cria possibilidades para o futuro revisitando símbolos maternos e paternos.

7 – Crema –  Grupo Casa (Campo Grande)

Sinopse: São três gerações dentro de uma casa em isolamento, Élida, Ísis e Aisha. O lado de fora não se sabe se segue existindo. Se elas não fossem mulheres, poderíamos saber se por dentro ainda estão vivas ou mortas.Mas o caminho de uma mulher é sempre incerto, e no coração muitas vezes carrega uma tragédia. CREMA é um grito de liberdade, de vida e de morte pela luta de um feminino bebê, que pode virar cinzas ou enfrentar o mundo que já acabou.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário