ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 28º

Comportamento

Aos 9 anos, Isabella é louca por gibis e pede doação de clássicos

Em casa, ela troca horas no celular por momentos de aventura e imaginação através dos gibis

Por Alana Portela | 23/07/2021 06:40
Aos 9 anos, Isabella Leal dos Santos mostra sua coleção de gibis da Turma da Mônica. (Foto: Paulo Francis)
Aos 9 anos, Isabella Leal dos Santos mostra sua coleção de gibis da Turma da Mônica. (Foto: Paulo Francis)

Na era digital em que todas as crianças praticamente "nascem" sabendo mexer no celular, Isabella Leal dos Santos resolveu nadar contra a corrente e faz da leitura de gibis um momento mágico, onde sonhos e fantasias se misturam ao tocar no papel colorido e cheio de histórias.

“Leio e fico imaginando brincadeiras, como posso transformar a história em diversão. Prefiro folhear os gibis que mexer em celular, é mais divertido. Gosto de aprender e imaginar", diz Isabella.

Aos 9 anos, ela está no quinto ano do ensino fundamental e diz nos gibis consegue se divertir e aprender. "Tem os engraçados, os que ensinam. Gosto mais da Turma da Mônica do Maurício de Sousa", afirma.

Sentada, Isabella aproveita para ler seu gibi. (Foto: Paulo Francis)
Sentada, Isabella aproveita para ler seu gibi. (Foto: Paulo Francis)

Isabella é uma menina  sorridente que mora no bairro Jardim Centenário com os pais. Os desenhos e os balões de textos fazem a pequena embarcar em histórias diferentes no mundo na imaginação.

Apesar de amar ler e contar história, fica meio sem jeito ao saber que está sendo entrevistada, por isso, quem recorda como a paixão por gibis começou é a mãe, a cabeleireira Mara Dias Leal, 55 anos.

“Quando ela tinha 5 anos entrou na pré-escola. No colégio, há biblioteca, onde ela conheceu os livros e ficou encantada com os gibis”, lembra Mara que, em seguida, tem sua resposta complementada pela filha. "Vi várias amigas lendo e como eu não sabia ler, pedia para que lessem pra mim".

A conversa continua e a mãe relata que mesmo sem saber ler, Isabella pegava os gibis emprestados na biblioteca e os levava para a casa, onde pedia para ela fazer a leitura. A cada história que ouvia, a menina se encantava, e nem a irmã mais velha quando a visitava, escapava de sentar e ouvir.

Sobre a cama, ela esparrama seus gibis para mostrar o quanto adora ler historinhas. (Foto: Paulo Francis)
Sobre a cama, ela esparrama seus gibis para mostrar o quanto adora ler historinhas. (Foto: Paulo Francis)

“Gosta que a gente participe desse momento com ela. As histórias mais interessantes, me chama para contar ou quer que leia junto. É um momento que nos aproxima ainda mais. É meu orgulho, todo amor que tenho dedico a ela”, se declara a mãe.

Aos poucos, Mara foi comprando alguns gibis usados para que a filha tenha sua coleção de histórias em casa. “Nesse tempo de pandemia tem faltado dinheiro, não temos saído muito, mas tento comprar alguns mais baratos”.

No quarto rosa, agora ela já tem 15 gibis que já leu diversas vezes. Para que a filha não fique desanimada, no fim de semana anterior Mara esteve no Centro em busca de uma banca de revistas que vendesse gibi. “Fomos num sábado à tarde, mas estava tudo fechado. Expliquei pra ela e percebi que ficou sentida”.

A mãe comenta sobre o hábito de leitura da filha. “Acho ótimo porque nesse tempo em que as crianças ficam mais no celular, ela se ocupa com a leitura. Às vezes lê no celular, mas prefere mesmo é o impresso porque gosta de pegar no papel e esse gosto principalmente no meio dessa pandemia é bom porque evita sair de casa”.

Nos últimos meses, a rotina da pequena tem sido acordar cedo para estudar em casa. “Eu e mais uma pessoa ajudamos a realizar as atividades escolares. Ela passa a manhã estudando e tem dias que fica até às 13h.  A tarde costuma ler e também gosta de brincar de boneca com uma amiga”.

Isabella deve voltar a rotina das aulas presenciais em breve e a mãe relata que a filha está muito animada. “Sentiu muita falta da escola que era onde conseguia pegar emprestado os gibis. Sempre foi uma excelente aluna e agora está super feliz que vai voltar”.

Enquanto isso, a mãe pede ajuda para conseguir mais gibis para tornar o mundo a fantasia da filha ainda mais divertido. "Quem puder doar ou mesmo vender gibis usados por um preço mais acessível fico agradecida", diz Mara. "Gostaria muito de ter mais", finaliza Isabella.

Serviço - Quem tiver gibis usados para doar ou vender pode entrar em contato com Mara pelo número (67) 99860-1772.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Sentada em sua cama dentro do seu quarto rosa, Isabella não esconde a felicidade ao estar perto dos gibis. (Foto: Paulo Francis)
Sentada em sua cama dentro do seu quarto rosa, Isabella não esconde a felicidade ao estar perto dos gibis. (Foto: Paulo Francis)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário