A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

27/08/2018 07:47

Após 25 anos fazendo árvore genealógica, família tem festa com 1,4 mil parentes

Thailla Torres
Festa lotou no primeiro Encontro Nacional da Família Sandim, em Campo Grande. (Foto: Thailla Torres)Festa lotou no primeiro Encontro Nacional da Família Sandim, em Campo Grande. (Foto: Thailla Torres)

Foram anos em busca de parentes, até que a família "Sandim" conseguiu realizar o feito de muitas outras pelo Brasil. No fim de semana, reuniu mais de 1,4 mil pessoas em Campo Grande, e no dia do aniversário da cidade aproximou muita gente que, até então, só tinha o sobrenome em comum. A reunião regada a muita música e dança, era esperada há 25 anos, desde que um grupo de campo-grandenses decidiu descobrir toda a árvore genealógica da família.

A história dos Sandim começa antes de 1860. A data certa nem mesmo os mais antigos sabem, mas o que ficou registrada foi a vinda dos primeiros Vicente Sandim e Manoel Ferreira Sandim, conhecidos como Caçadores, de Monte Alegre (MG). A família mineira resolveu desbravar a região sul do Mato Grosso por volta de 1874. "Nosso tataravô e bisavó vieram de Monte Alegre junto com a família de José Antônio Pereira. Nosso pessoal estava com ele", conta o economista Lauredi Borges Sandim, de 63 anos, organizador da festa.

Antônios, ambos com mesmos sobrenomes Sandim de Moura.  (Foto: Thailla Torres)Antônios, ambos com mesmos sobrenomes Sandim de Moura. (Foto: Thailla Torres)

De Minas Gerais para o Mato Grosso do Sul, os Caçadores ajudaram a construir várias gerações que hoje se espalham pelo País. Por aqui, a maioria está em Campo Grande, Rochedo, Jaraguari, Rio Negro e Maracaju.

Apesar de muita música, churrasco e xote na pista de dança do Rádio Clube Campo, Lauredi admite que não foi fácil reunir toda família. "Foram muitas ligações, pedidos, explicações sobre o nosso objetivo de encontrar a família até finalmente eu conseguir organizar evento. Quando eu não tinha Facebook era mais difícil, com as redes sociais tudo ficou mais fácil", explica o organizador.

O primeiro passo para o encontrou começou em 1993 quando Lauredi decidiu buscar suas origens. Com ajuda do economista Carlos Rodrigues Sandim e  Divaldo Rosa da Silva, ambos foram em busca de montar a árvore genealógica para encontrar o máximo de parentes. "Só de buscas por certidões cartoriais foram milhares. Durante esse tempo iniciamos uma investigação para descobrir de onde vieram nossos antepassados. Quando descobrimos a origem em Monte Alegre, viajamos até lá, fomos em cartórios, fizemos pesquisas, até encontrar os importantes", explica Carlos.

Ana ficou maravilhada com o encontro e os novos familiares.  (Foto: Thailla Torres)Ana ficou maravilhada com o encontro e os novos familiares. (Foto: Thailla Torres)
Everton é integrante do Grupo Sandim, do RS e veio conhecer a nova família.  (Foto: Thailla Torres)Everton é integrante do Grupo Sandim, do RS e veio conhecer a nova família. (Foto: Thailla Torres)

No topo da árvore estão os dois Antônio Sandim de Moura, um com 78 anos e outro com 71, que são parentes de primeiro grau dos caçadores que chegaram por aqui no século passado. Ambos de Monte Alegre, eles mal conseguiam passear pelo salão sem serem abordados para fotografias e abraços de famílias do Brasil inteiro. "Estamos em destaque porque somos de onde vieram nossos avôs. Eles chegaram aqui junto com o fundador desta cidade. Eu tenho maior orgulho disso", diz o Antônio, de 71 anos.

Para lembrar como tudo começou, a organização fez um mural com todas as famílias "Sandim" encontradas. Também não faltou gente disposta a explicar a origem e distribuir abraços pela recepção dos novos parentes.

De Bagé, interior do Rio Grande do Sul, veio o grupo musical Sandim, com integrantes vestindo a tradicional piúcha e tomando chimarrão. Além do sobrenome, os irmãos trouxeram alegria e xote para animar os convidados. "Formamos o grupo em 2002 e hoje estamos muito felizes de chegar a Mato Grosso do Sul para um encontro tão lindo. Eu nunca imaginava encontrar tantos familiares Sandim por aqui. É um alegria muito grande. Um momento histórico", diz o músico Everton Sandim Ornelas.

Apesar de não conhecer grande parte dos parentes, dona Eva Luiza Sandim, de 78 anos, nascida em Jaraguari, adorou o encontro. "Estou maravilhada, é de arrepiar cada abraço, cada conversa. Isso prova que ninguém é pequeno, sozinho. Eu espero que essa seja a primeira festa de muitas".

Com todos reunidos, os familiares aproveitaram para conhecer a história de cada e fazer novas amizades. Lauredi, subiu no palco para agradecer e ficou emocionado com o sentimento de dever cumprido. "Saber a nossa origem é muito importante. Veja só, se não houvesse curiosidade, a gente não ia ter uma confraternização tão importante como essa. É preciso querer e abrir o coração para que seus familiares façam parte da sua vida".

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

Grupo e Lauredi, organizador e idealizador da iniciativa de buscar as origens da família Sandim no MS.  (Foto: Thailla Torres)Grupo e Lauredi, organizador e idealizador da iniciativa de buscar as origens da família Sandim no MS. (Foto: Thailla Torres)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.