ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 22º

Comportamento

Após 38 anos longe, escritora volta com lendas e presente para Corumbá

Inspirada nas memórias da infância, jornalista escreveu romance que traz lendas e tradições no ritmo de polca

Por Jéssica Fernandes | 18/04/2024 07:31
Escritora e jornalista, Bernadete Piassa lança 'Polca Paraguaia' nesta semana. (Foto: Arquivo pessoal)
Escritora e jornalista, Bernadete Piassa lança 'Polca Paraguaia' nesta semana. (Foto: Arquivo pessoal)

Bernadete Piassa, de 69 anos, cresceu no ritmo lento e caloroso de Corumbá. Da Cidade Branca, ela guarda as melhores memórias da infância e foram essas que a inspiraram na escrita do livro ‘Polca Paraguaia’. O lançamento da obra marca o retorno da jornalista depois de passar 38 anos morando fora do País.

A escritora volta ao Mato Grosso do Sul com o desejo não só de reencontrar familiares, mas também presentear a cidade com o romance narrado em várias páginas através das vidas de Ted e Anna. O cenário dessa história é dividido entre Estados Unidos e Corumbá com suas lendas e tradições singulares.

Ao Lado B, a jornalista fala sobre a relação com a escrita e como a cidade sul-mato-grossense foi fundamental para toda a jornada até aqui. A paixão pelos livros foi algo que ocorreu naturalmente na vida de Bernadete e esse foi o primeiro passo para criar as próprias histórias.

Bernadete, aos 4 anos, na casa da família com dois cachorros. (Foto: Arquivo pessoal)
Bernadete, aos 4 anos, na casa da família com dois cachorros. (Foto: Arquivo pessoal)

“Sempre gostei de escrever a vida toda. Se me pedisse para somar 2 mais 2 eu ia errar, mas escrever era uma coisa natural para mim. Eu sempre amei livros, amei ler. [...] Escrever para mim é uma coisa natural, que eu faço com prazer”, conta.

Em Corumbá, Bernadete teve liberdade para dar asas à imaginação e descobrir muitas histórias, sejam aquelas narradas em livros ou contadas por outras pessoas. Nesse ritmo, ela morou na cidade até os 12 anos quando foi matriculada em um colégio interno no Rio de Janeiro.

Mesmo com o distanciamento que só era interrompido no período de férias, a sul-mato-grossense fala que esses primeiros anos de vida foram e continuam sendo muito importantes. “A ligação continuou muito forte, porque toda a minha família continua em Corumbá. Aquele local foi o que me marcou. Tinha tantas histórias e a infância teve momentos tão bons”, afirma.

Jornalista durante uma das passagens pela Cidade Branca. (Foto: Arquivo pessoal)
Jornalista durante uma das passagens pela Cidade Branca. (Foto: Arquivo pessoal)

Para além da infância, a fase adulta também foi essencial para a construção como escritora. Formada em Jornalismo pela Cásper Líbero, ela trabalhou na Folha de São Paulo, Estadão e Editora Abril. Ao decorrer dos anos, Bernadete publicou muitos textos, crônicas e teve trabalhos traduzidos em outros idiomas.

“Publiquei nos Estados Unidos ‘Um caso de amor com livros’ que acabou sendo republicado em vários países. Tenho histórias, por exemplo, da Selva Amazônica, de Belém Brasília, que é de uma viagem que fiz”, conta.

Outros exemplos são ‘O Grito do Amazonas’ que foi publicado numa revista literária americana e ‘Os Anõezinhos da Rua Paissandu’, que é sobre uma rua do Rio de Janeiro, que também foi publicada nos Estados Unidos.

Polca Paraguaia - No primeiro romance da carreira, Bernadete apresenta ao leitor a história de três personagens. “O livro tem um casal de americanos. O Ted e Ana acabam conhecendo essa senhora brasileira, a Isabel, numa casa de repouso e ela começa a contar histórias para eles. Através das histórias, ela vai os ajudando a refazerem o casamento que está totalmente destruído”, explica.

Sem querer dar spoilers, a escritora faz questão de trazer só mais um detalhe. “Corumbá é o pano de fundo e a história de certa maneira se move no ritmo de Corumbá. Corumbá é uma cidade que se mexe muito devagar por causa do calor, dá aquela preguiça, então a história vai caminhando lentamente e contando coisas”, pontua.

Devido ao trabalho de pesquisa do marido, Bernadete mora há 38 anos fora do Brasil. Nas últimas décadas, a jornalista já viveu em Nova Iorque, Filadélfia, Arizona e também na França. Atualmente, a escritora mora no Arizona, nos Estados Unidos.

Apesar de estar em outro continente, ela encontrou um lugar que, de certa maneira, a faz lembrar das origens. Na cidade de Tubac, a sul-mato-grossense encontrou um canto tranquilo, de ritmo lento, que tem tudo a ver com ela.

“Parece muito com Corumbá porque é uma cidade de fronteira igual a Corumbá e Tubac também é um lugar muito quente. Eu sou uma pessoa que já morou em milhões de lugares, mas tenho essa coisa de cidade pequena muito forte dentro de mim”, diz.

Nesta semana, a jornalista iniciou a saga de volta para casa. Com o retorno ao Estado e o lançamento do livro, ela relata que está emocionada com a recepção do público.

“As pessoas estão recebendo muito bem a minha vida, estão contentes de ter um livro sobre Corumbá e isso me deixa realmente muito tocada e muito honrada. Eu tô esperando ansiosamente para o momento da divulgação porque será muito importante ver ‘Polca Paraguaia’. Ele se chama assim porque é como se a música, a ‘Polca Paraguaia’ acompanhasse o livro todo”, pontua.

Serviço - O livro “Polca Paraguaia”, escrito por Bernadete Piassa, publicado pela Life Editora, será lançado nesta sexta-feira, dia 19, em Corumbá, a partir das 18 horas, no Museu Casa Dr. Gabi (R. Cuiabá, nº 1181 – Centro), e no dia 23, terça-feira, em Campo Grande, a partir das 19 horas, na Livraria Leitura (Av. Afonso Pena, nº 4.909 – Santa Fé). Entrada gratuita.

Siga o Lado B no WhatsApp, um canal para quebrar a rotina do jornalismo de MS! Clique aqui para acessar o canal do Lado B e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias