ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 22º

Comportamento

Banho de São João em MS agora é Patrimônio Cultural do Brasil

Resultado do processo foi divulgado hoje pelo Iphan e reconhece uma das maiores festas populares de MS

Por Ângela Kempfer | 19/05/2021 15:20
Momento em que fiéis dão banhos nos santos, no Rio Paraguai, (Foto: Diário Corumbaense)
Momento em que fiéis dão banhos nos santos, no Rio Paraguai, (Foto: Diário Corumbaense)

O Banho de São João de Corumbá e Ladário agora é Patrimônio Cultural do Brasil. A decisão foi anunciada pelo Conselho Consultivo do Iphan (Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) na tarde desta quarta-feira (19).

“O Banho de São João em Corumbá e Ladário passam agora a configurar ao lado de outras importantes manifestações do país a exemplo do Círio de Nazaré, o São João de Campina Grande, como representação significativa do país, o que enaltece mais ainda o papel da tradição cultural popular de nossa região”, comenta o  diretor-presidente da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico de Corumbá, Joílson Silva da Cruz.

O título reconhece a importância de uma das maiores festas populares de Mato Grosso do Sul, famosa pelo levantamento do Mastro de São João, roda de Cururu e Siriri, alvoradas, procissões, cortejos, novenas e, claro, pelo banho do santo no Rio Paraguai. A comemoração que surgiu nos quintais das famílias da região tem o peso do sincretismo, por reunir Catolicismo e religiões afro-brasileiras, como Umbanda e Candomblé.

A festa, que tem o ápice em dia 23 de junho, remete ao batismo de Jesus feito por João Batista nas águas do Rio Jordão. Antes, as famílias rezam o terço, depois descem a Ladeira Cunha e Cruz que dá acesso ao rio e no caminho muitos aproveitam para passar por baixo dos andores enfeitados com flores, para garantir o casamento no ano seguinte.

Não se sabe ao certo há quanto tempo existe esse ritual, mas os festeiros mais antigos contam que já praticam a cerimônia, pelo menos, desde a década de 1940.

Procissão nas ruas de Corumbá, com santos em andores. (Foto: Governo de MS)
Procissão nas ruas de Corumbá, com santos em andores. (Foto: Governo de MS)

“O Banho de São João é importante celebração que compõem a identidade do estado do Mato Grosso do Sul. Pra nós, é uma felicidade imensa concluir o processo de registro de um bem tão significativo para a região do Pantanal e para o Brasil”, declarou a presidente do Iphan, Larissa Peixoto, em nota.

O título vem ironicamente quando a festa deixa de ser realizada por conta da pandemia. Em 2020, pela primeira vez os festeiros fizeram a comemoração em casa, com transmissão por lives.

Para chegar ao dia de hoje, houve um extenso processo até o reconhecimento, que envolveu produção de vídeos, documentário e dossiê.

O Iphan lembra que em 2018 firmou parceria com a UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul) e o processo acompanhou, inclusive, a preparação da festa, "resultando em inúmeras entrevistas, sendo 25 delas gravadas, com festeiros, devotos e autoridades religiosas e político-administrativas", informa o Instituto.

“Esse Arraial é realizado somente aqui. O Brasil precisa conhecer, o mundo precisa conhecer. O registro é uma emoção porque, quando começamos a montar o processo, era só um sonho. Para os festeiros e devotos, hoje é uma grande vitória”, disse o festeiro Alfredo Ferraz, 32, em entrevista ao Iphan.

Participam do projeto o Grupo de Trabalho e Pesquisa em Cultura e Turismo (GGTUR), Laboratório de Antropologia Visual Alma do Brasil – Lavalma, graduandos e pós-graduandos dos cursos de Ciências Sociais, História, Geografia e Jornalismo e Mestrado em Antropologia Social da UFMS, professor Marco Aurélio de Oliveira (Mestrado em Estudos Fronteiriços – CPAN), professor Mário Sá (Faculdade de Direito – UFGD), pesquisadores da Fundação de Cultura de Corumbá, além de antropólogos, historiadores e arqueólogos da Superintendência do Iphan no Mato Grosso do Sul e voluntários.

A festa já é Patrimônio Imaterial Cultural de Mato Grosso do Sul,

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade



Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário